Educação das Relações Raciais na Formação Docente: um estudo sobre os currículos de Cursos de Licenciatura em Biologia da UFRA

Autores

Palavras-chave:

Ciências Biológicas, Formação Docente, Relações Raciais

Resumo

Este artigo tem como tema a Educação das Relações Raciais na formação de professores de Ciências e Biologia e como objeto de investigação o modo pelo qual se apresentam as discussões sobre o referido tema nos Projetos Pedagógicos (PPC) de cursos de licenciatura em Biologia ofertados pelos campi de Capanema e Tomé-Açu da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). O objetivo geral incide em compreender como se constituem as discussões relativas à Educação das Relações Raciais nos currículos dos referidos cursos. A estruturação teórica do tema parte de três categorias analíticas: o saber da Educação das Relações Raciais, tendo como base teórica a tríade de especialistas formada por Nilma Gomes (2003), Petronilha Silva (2007) e Wilma Coelho (2007); a formação de professores, por Bernardete Gatti (2008), a Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2018) e a Base Nacional Comum para Formação de Professores (BNC-Formação) de 2019, e sobre currículo considera Peter Mclaren (1997) e Tomaz Silva (1999). No tocante aos encaminhamentos metodológicos, ancora-se na abordagem de caráter qualitativo e tipo documental (GIL, 2002). Os dados foram levantados por meio de páginas eletrônicas e documentos institucionais e foram analisados por meio de reflexões sobre sua abordagem teórica formativa da instituição de ensino supracitada. Os resultados apontam a necessidade de ampliação dos estudos teóricos e metodológicos sobre a temática, aliada à reflexão sobre o lugar das discussões nos currículos dos cursos da instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Alex Santiago Cruz, Universidade Federal Rural da Amazônia

UFRA

Referências

Brasil. (2003) Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-brasileira”, e dá outras providências. Brasília.

Brasil. (2001). Ministério da Educação. Parecer no 1.301/2001, de 6 de novembro de 2001. CNE/CES. Diretrizes curriculares nacionais para os cursos de ciências biológicas. Acesso em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES1301.pdf.

Brasil. (2004). Ministério da Educação. Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília.

Brasil. (2004). Ministério da Educação. Parecer no 003/2004, de 10 de março de 2004. CNE/CES. Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações Étnico-Raciais e para o ensino de história e cultura Afro-Brasileira e africana. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cnecp_003.pdf.

Brasil. (2006). Ministério da Educação. Alfabetização e Diversidade Orientações e Ações para Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD. Acesso em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/orientacoes_etnicoraciais.pdf.

Brasil. (2018). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília.

Brasil. (2019). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP no 2, de 20 de dezembro de 2019. Brasília.

Carth, J. L. (2017). A Base Nacional Comum Curricular e a aplicação da política de Educação para Educação das Relações Étnico-Raciais. MEC.

Coelho, M. C., & Coelho, W. de N. B. (2018). As licenciaturas em história e a Lei 10.639/03 – Percursos de Formação para o trato com a diferença? Educação em Revista, 34. Acesso em: https://doi.org/10.1590/0102-4698192224.

Coelho, M. C., & Coelho, W. de N. B. (2021). Educação para as Relações Étnico-Raciais e a formação de professores de História nas novas diretrizes para a formação de professores. Educar em Revista, 37. Acesso em: https://doi.org/10.1590/0104-4060.77098 Acesso em: 8 nov. 2022.

Coelho, W. de N. B. (2007). Só de corpo presente: O silêncio tácito sobre cor e relações raciais na formação de professoras no estado do Pará. Revista Brasileira de Educação, 12 (34).

Corrêa, A., & Morgado, J. C. (2018). A Construção da Base Nacional Comum Curricular no Brasil: tensões e desafios. In: Colóquio Luso-Brasileiro de Educação, 2018, Braga e Paredes de Coura. Anais... Braga e Paredes de Coura: Convênio entre a Universidade do Minho e Universidade do Estado de Santa Catarina.

Costa, E. M., Mattos, C. C. de, & Caetano, V. N. da S. (2021). Implicações da BNC- Formação para a universidade pública e formação docente. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, 16, 896-909.

Garcia, M. M. A., Hypolito, Á. M., & Vieira, J. S. (2005). As identidades docentes como fabricação da docência. Educação e Pesquisa, 31 (1), 45-56. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000100004.

Gatti, B. A. (2017). Didática e Formação de Professores: Provocações. Caderno de Pesquisa, 47 (166), 1150-1164.

Gatti, B. A. et al. (2019). Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO.

Gil, A. C. (2002). Como delinear estudos de campo: análise de dados. In: Gil, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa (PP. 133-134). 4. ed. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2008). Delineamento da pesquisa: Pesquisa documental. In: Gil, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social (PP. 50-51). 6. ed. São Paulo: Atlas.

Gomes, N. L. (2003). Educação, identidade negra e formação de professores/as: um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e Pesquisa, 29 (1), 167-182. Acesso em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022003000100012.

Gomes, N. L. (2005). Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. Secretária de educação continuada, alfabetização e diversidade. Brasília: Ministério da Educação. (Coleção para todos.)

Mclaren, P. (2007). Multiculturalismo crítico. São Paulo: Cortez.

Modesto, M. A., & Cruz, F. A. S. (2022). O eu, o outro e a(s) identidade(s): representações identitárias diante do personagem Chico Bento e implicações na Educação do Campo. Revista Brasileira de Educação do Campo, 7, e12289. Acesso em: https://doi.org/10.20873/uft.rbec.e12289.

Santos, R. A. dos, & Coelho, W. (2013). História da África e dos africanos nas Escolas Brasileiras: mito ou realidade? Reflexão e Ação, 123-148.

Silva, C. da. (2020). A educação étnico-racial na Base Nacional Comum Curricular invisibilidade ou promoção de uma educação antirracista? ANPED, Bahia, 1-9.

Silva, A. L. da, & Silva, C da. (2021). A Base Nacional Comum Curricular e a Educação Étnico-Racial na promoção de uma educação antirracista. Revista eletrônica pesquiseduca, 13 (30), 553-570. Acesso em: https://periodicos.unisantos.br/pesquiseduca/article/view/1056.

Silva, P. B. G. e. (2007). Aprender, ensinar e relações Étnico-Raciais no Brasil. Educação, Porto Alegre (3), 489-506.

Silva, P. B. G. e. (2007). Aprender, ensinar e relações Étnico-Raciais no Brasil. Educação, 30 (3). Acesso em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/2745.

Silva, T. T. da. (1999). As teorias pós-criticas: o currículo como narrativa étnica racial. In: SILVA, T. T. da. Documentos de identidade: uma introdução as teorias do currículo (PP. 99-105). Belo Horizonte: Autêntica.

Universidade Federal Rural da Amazônia. (2018a). Projeto pedagógico do curso de Ciências Biológicas licenciatura. Tomé-Açu. Acesso em: https://biologiacp.ufra.edu.br/images/Doc/PPC_Ciencias_Biologicas_UFRA_CCP_2017.pdf.

Universidade Federal Rural da Amazônia. (2018b). Projeto pedagógico do curso de Ciências Biológicas licenciatura. Capanema/PA. Acesso em: https://capanema.ufra.edu.br/antigo/attachments/article/23/PPC%20Biologia%20Licenciatura%20Capanema%20-%20Atual%202018.pdf.

Valente, A. L. (2005). Ação afirmativa, relações raciais e educação básica. Revista Brasileira de Educação, 28, 62-76. Acesso em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=27502806.

Verrangia, D., & Silva, P. B. G. e. (2010). Cidadania, Relações Étnico-Raciais e Educação: desafios e potencialidades do ensino de ciências. Educação e Pesquisa, 36 (3), 705-718. Acesso em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022010000300004.

Downloads

Publicado

2023-12-19

Como Citar

Santiago Cruz, F. A. (2023). Educação das Relações Raciais na Formação Docente: um estudo sobre os currículos de Cursos de Licenciatura em Biologia da UFRA . Mandacaru: Revista De Ensino De Ciências E Matemática, 3(1), 95–116. Recuperado de https://ead.codai.ufrpe.br/index.php/mandacaru/article/view/6550