UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE A CLASSE DOCENTE DO BRASIL E DE PORTUGAL: OS EFEITOS DA INSTRUMENTALIZAÇÃO DO PISA.

Autores

Palavras-chave:

Avaliação, PISA, Trabalho docente, Hibridização

Resumo

Este trabalho tem por objetivo empreender uma análise comparativa entre os impactos da adoção e instrumentalização dos resultados do PISA no Brasil e em Portugal levando em conta a constituição da classe docente. Para isso, fizemos uma análise documental dos relatórios da avaliação e construímos um perfil do professores a partir de dados secundários, no caso do Brasil usamos os dados da Sinopse do Censo Escolar 2018 e para Portugal utilizamos o “Perfil do Docente 2017/2018” promovidos pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) e Direção de Serviços de Estatísticas da Educação (DSEE). Concluímos que a instrumentalização se difere entre os dois países, tomando como referência o fenômeno de hibridização, já a classe docente sofre impactos parecidos se diferenciando apenas no aspectos da formação

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus Henrique Magalhães Cavalcanti, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Graduando em bacharelado em Ciências Sociais na Universidade Federal Rural de Pernambuco

Referências

BRASIL, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Estudo exploratório sobre o professor brasileiro com base nos resultados do Censo Escolar da Educação Básica 2007, – Brasília : Inep, 2009;

BRASIL. Ministério da Educação (MEC) Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (SASE). Planejando a Próxima Década: Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional, Brasília, MEC, 2014;

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Sinopses Estatísticas da Educação Básica de 2018, Brasília, 2019;

BRUNS, B.; LUQUE, J. Professores Excelentes: Como melhorar a aprendizagem dos estudantes na América Latina e no Caribe. Washington, D.C.: Banco Mundial, 2014;

CARNOY, M.; KHAVENSON, T.; FONSECA, I.; COSTA, L.; MAROTTA, L. A educação brasileira está melhorando? Evidências do PISA e do SAEB. In: Cadernos de Pesquisa, v.45 n.157 p.450-485 jul/set, 2015;

CARVALHO, L. M. PISA, política e conhecimento em educação. In: Educ. Soc., Campinas, v. 37, nº. 136, p.601-607, jul.-set., 2016;

CARVALHO, L. M.; COSTA, E. Avaliação externa das escolas em Portugal: atores, conhecimentos, modos de regulação. In: RBPAE - v. 33, n. 3, p. 685 - 705, set./dez. 2017;

CARVALHO, L. M.; VISEU, S. Mudança na governação das escolas e a reconfiguração do trabalho e das identidades dos diretores escolares em Portugal, In: OLIVEIRA, D,; CARVALHO, L. M.; LEVESSEUR, L.; MIN, L.; NORMAND, R. (Org) Políticas educacionais e a reestruturação da profissão educador: Perspectivas globais e comparativas. Petrópolis, RJ, Vozes, 2019;

CARVALHO, M. R. V. de. Perfil do professor da educação básica. – Brasília, DF: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2018;

CÁSSIO, F. Apresentação. In: Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. – 1.ed., São Paulo, Boitempo, 2019;

CATINI, C. Educação e empreendedorismo da barbárie. In: CÁSSIO, F. Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. – 1.ed., São Paulo, Boitempo, 2019;

DUARTE, A. W. B. Por que ser professor? Uma análise da carreira docente na educação básica no Brasil. Belo Horizonte, 2013;

LINGARD, B. PISA: Fundamentações para participar do acolhimento político. In: Educ. Soc., Campinas, v. 37, nº. 136, p.609-627, jul.-set., 2016;

OLIVEIRA, D. A. Apresentação. In: OLIVEIRA, D,; CARVALHO, L. M.; LEVESSEUR, L.; MIN, L.; NORMAND, R. (Org) Políticas educacionais e a reestruturação da profissão educador: Perspectivas globais e comparativas. Petrópolis, RJ, Vozes, 2019;

PETTERSSON, D; MOLSTAD, C. E. PROFESSORES DO PISA: A ESPERANÇA E A REALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO. In:Educ. Soc., Campinas, v. 37, nº. 136, p.629-645, jul.-set., 2016;

PORTUGAL. Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC); Direção de Serviços de Estatísticas da Educação (DSEE). Estatísticas da Educação 2019, Lisboa, DGEEC, 2020;

ENGUITA, M. F. O discurso da qualidade e a qualidade do discurso. In: GENTILI, P.; SILVA, T. T. Neoliberalismo, Qualidade e Educação: Visões Críticas – 2º.ed., Petrópolis, Rj, Vozes, 1995;

ENGUITA, M. F. A ambiguidade da docência: entre o profissionalismo e a proletarização. In: Teoria & Educação, Porto Alegre, n. 4, p. 41-61, 1991;

FIORI, J. L. O Consenso de Washington. SP, 1996. (mimeo);

GOMES, A. V. M. Contratação temporária de professores nas redes públicas de educação básica e o cumprimento da estratégia 18.1 do Plano Nacional de Educação. Brasília, Consultoria Legislativa da Câmara dos deputados, 2019;

OECD, PISA 2018 Results (Volume I): What Students Know and Can Do, PISA, OECD Publishing, Paris, 2019;

OECD, PISA 2015 Results (Volume II): Policies and Practices for Successful Schools, PISA, OECD Publishing, Paris, 2016;

OCDE. PERSPETIVAS DAS POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO: PORTUGAL, OECD Publishing, Paris, 2014;

OCDE. EDUCATION POLICY OUTLOOK: BRAZIL, OECD Publishing, Paris, 2015;

MOLSTAD, C. E.; PETTERSSON, D.; PROITZ, T. S. Infusão suave – A construção dos “professores” no âmbito do Pisa. In: OLIVEIRA, D,; CARVALHO, L. M.; LEVESSEUR, L.; MIN, L.; NORMAND, R. (Org) Políticas educacionais e a reestruturação da profissão educador: Perspectivas globais e comparativa. Petrópolis, RJ, Vozes, 2019;

WILLMS, D. LEARNING DIVIDES: TEN POLICY QUESTIONS ABOUT THE PERFORMANCE AND EQUITY OF SCHOOLS AND SCHOOLING SYSTEMS. UNESCO Institute for Statistics, Montreal, 2006.

VARELA, R. C.; SANTA, R. della.; SILVEIRA, H.; MATOS, C. de.; ROLO, D.; AREOSA, J.; LEHER, R. Inquérito Nacional sobre as Condições de Vida e Trabalho na Educação em Portugal, Coord. VARELA, R. In: JORNAL DA FENPROF, Lisboa, 2018.

Downloads

Publicado

2021-12-08

Como Citar

Magalhães Cavalcanti, M. H., & Cavalcanti, P. (2021). UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE A CLASSE DOCENTE DO BRASIL E DE PORTUGAL: OS EFEITOS DA INSTRUMENTALIZAÇÃO DO PISA. Revista Caboré, 1(4), 78–98. Recuperado de http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/revistacabore/article/view/4535