A FIGURA ANCESTRALE A DIALÉTICA DA RECONCILIAÇÃO EMPRAISESONG FOR THE WIDOW, DE PAULE MARSHALL

Sueli Meira Liebig

Resumo


O nosso foco irá recair sobre o papel de Marshall enquanto escritora e ao seu débito para com a “oralitura” das suas progenitoras, por um lado, e sobre os conflitos entre os valores da classe média negra americana, a compreensão da sua herança cultural pela passagem através do mar do Caribe e a articulação do ser afro-americano guiado pela mão da figura ancestral, por outro lado. As ilhas do Caribea que se refere, com as suas longas e dolorosas histórias de escravidão e colonialismo, manifestam características ao mesmo tempo físicas e temporais que parecem demandar uma espécie de acerto de contas com o passado. O resultado é um veemente ponto de vista defendido publicamente pela autora.

Palavras-chave


Literatura

Texto completo:

PDF

Referências


HARRISON, Paul Carter. Kuntu Drama.New York: Grove Press, 1974.

HERSKOVITS, Melville. The Myth of the Negro Past. Boston: beacon Press, 1941.

MARSHALL, Paule. “Shapping the World of my Art”. In: New Ltters 40.1, 1973.

_____________. Praisesong for the Widow.New York: G.P. Putnam´s Sons, 1983.

PRADO, Paulo. Retrato do Brasil. Organização de Carlos Augusto Calil. São Paulo, Cia das Letras, 1997 [1928].

RAY, Benjamin. African Religions:Symbol, Ritual, and Community. Englewood Cliffs, ,NJ: Prentice, 1976.

WILENTZ, Gay. Binding Cultures: Black Women Writers in Africa and the Diaspora. Bloomington: Indiana UP, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista MILBA