Ultrassonografia Doppler de corpos lúteos em éguas com ovulação induzida

Autores

  • Victor Netto Maia Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (UFAPE), Garanhuns-PE, Brasil
  • André Mariano Batista Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Recife-PE, Brasil
  • Sylvio Cunha Neto Médico-veterinário autônomo
  • Diogo Manoel Farias Silva Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU), Recife-PE, Brasil
  • Aurea Wischral Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Recife-PE, Brasil http://orcid.org/0000-0001-7954-8690

DOI:

https://doi.org/10.26605/medvet-v16n1-3577

Palavras-chave:

equino, deslorelina, progesterona, vascularização

Resumo

Neste trabalho objetivou-se avaliar o padrão de vascularização luteal em éguas com ovulação induzida com acetato de deslorelina e sua relação com concentrações séricas de progesterona. Foram utilizadas éguas (n=5), com ovulação natural (GC) e induzida com 750 µg de acetato de deslorelina (GT). Os corpos lúteos (CL) foram analisados nos dias 4, 8 e 12 após a ovulação, usando ultrassonografia com Doppler colorido. A concentração de progesterona foi analisada por enzimaimunoensaio (ELISA), nos mesmos dias das avaliações dos CLs. Não foram observadas diferenças significativas (P ? 0,05) entre os grupos (GC x GT), em relação ao percentual de vascularização dos CLs avaliados nos dias 4 e 8 pós-ovulação. Entretanto, foi observado menor (P < 0,05) padrão de vascularização dos CLs no dia 12, quando comparado aos dias 4 e 8, nas fêmeas do grupo tratado com deslorelina. As concentrações de progesterona obtidas nos grupos GC e GT não apresentaram diferenças significativas entre os grupos ou entre os dias 4, 8 e 12 após a ovulação (P > 0,05). Além disso, nenhuma correlação foi encontrada entre o padrão de vascularização e as concentrações de progesterona nos diferentes grupos (r = -0,067; P = 0,09). Conclui-se que a indução da ovulação com acetato de deslorelina não afetou os níveis de progesterona nos dias 4, 8 e 12 após a ovulação, porém promoveu redução no padrão de vascularização no dia 12 após a ovulação. Além disso, não houve correlação entre o padrão de vascularização luteal e a concentração de progesterona nas éguas avaliadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Abdelnaby, E.A.; Abo El-Maaty, A.M. Luteal blood flow and growth in correlation to circulating angiogenic hormones after spontaneous ovulation in mares. Bulgarian Journal of Veterinary Medicine, 20(2): 97-109, 2017.

Alonso, M.A.; Silva, L.A.; Affonso, F.J.; Lemes, K.M.; Celeghini, C.C.C.; Lançoni, R.; Carvalho, H.F.; Arruda, R.P. Effect of hCG application at different moments of the estrous cycle on corpus luteum and uterine vascularization and serum progesterone concentration in mares. Animal Reproduction, 16(2): 317-327, 2019.

Bollwein, H.; Weber, F.; Kolberg, B.; Stolla, R. Uterine and ovarian blood ?ow during the estrous cycle in mares. Theriogenology, 57(8): 2129-2138, 2002a.

Bollwein, H.; Mayer, R.; Weber, R.; Stolla, R. Luteal blood ?ow during estrous cycle in mares. Theriogenology, 65(8): 2043-2051, 2002b.

Ferris, R.A.; Hatzel, J.N.; Lindholm, A.R.G.; Scofield, D.B.; Mcue, P.M. Efficacy of deslorelin acetate (SucroMate) on induction of ovulation in American Quarter horse mares. Journal of Equine Veterinary Science, 32(5): 285-288, 2012.

Ginther, O.J.; Utt, M.D.; Bergfelt, D.R.; Beg, M.A. Controlling interrelationships of progesterone/LH and estradiol/LH in mares. Animal Reproduction Science, 95(1-2): 144-150, 2006.

Ginther, O.J.; Gastal, E.L.; Gastal, M.O.; Utt, M.; Beg, M.A. Luteal blood flow and progesterone production in mares. Animal Reproduction Science, 99(1-2): 213-220, 2007.

Kwong, G.P.S.; Klein, C.; Adams, C. Allison, M.; Armstrong, L.; Bartier, A.; Bowal, J.; Brandt, C.; Denny, E.; Toit, L. du; Glassman, A.; Ho, T.; Kearns, K.; Kolodziej, E.; Lakhdhir, S.; Landsbergen, T.; Maloney, T.; Matejka, C.; McKay, L.; Murphy, T.; Nicholas, C.; Patterson, M.; Pierse, G.; St. Louis, M.; Stefanyshyn, C.; Steinmann, M.; Tees, R.; Wells, S.; Whitelaw, A. Deslorelin and naltrexone stimulate follicular development in mares during autumn transition and early anestrus. Canadian Veterinary Journal, 60(8): 855-858, 2019.

LeBlanc, S.J.; Duffield, T.F.; Leslie, K.E.; Bateman, K.G.; Keefe, G.P.; Walton, J.S.; Johnson, W.H. Defining and diagnosing postpartum clinical endometritis and its impact on reproductive performance in dairy cows. Journal of Dairy Science, 85(9): 2223-2236, 2003.

Palmer, E.; Chavatte-Palmer, P.; Verdonck, E. Field trial of Doppler ultrasonography of the preovulatory follicle in the mare. Animal Reproduction Science, 94(1): 182-185, 2006.

Šichtar?, J.; Rajmon, R.; Hošková, K.; R?ehák, D.; Vostrý, L.; Härtlová, H. The luteal blood flow, area and pixel intensity of corpus luteum, levels of progesterone in pregnant and nonpregnant mares in the period of 16 days after ovulation.

Czech Journal of Animal Science, 58(11): 512-519, 2013.

Slough, T.L.; Rispoli, L.A.; Carnevale, E.M.; Niswender, G.D.; Bruemmer, J.E. Temporal gene expression in equine corpora lutea based on serial biopsies in vivo. Journal of Animal Science, 89(2): 389-396, 2011.

Squires, E. Current reproductive technologies impacting equine embryo production. Journal of Equine Veterinary Science, 89: 102981, 2020.

Tarso, S.G.S.; Gastal, G.D.A.; Bashir, S.T.; Gastal, M.O.; Apgar, G.A.; Gastal, E.L. Follicle vascularity coordinates corpus luteum blood flow and progesterone production. Reproduction, Fertility and Development, 29(3): 448-457, 2017.

Downloads

Publicado

2022-04-06

Como Citar

Maia, V. N., Batista, A. M., Cunha Neto, S. ., Silva, D. M. F., & Wischral, A. (2022). Ultrassonografia Doppler de corpos lúteos em éguas com ovulação induzida. Medicina Veterinária (UFRPE), 16(1), 75–80. https://doi.org/10.26605/medvet-v16n1-3577

Edição

Seção

Reprodução Animal