CONTROLADORIA COMO UNIDADE ORGANIZACIONAL: RELAÇÕES ENTRE SUAS CARACTERÍSTICAS E O NÍVEL DE SUSTENTABILIDADE EM EMPRESAS DO SETOR SUCROALCOOLEIRO DE PERNAMBUCO

Melina França Cabral Benfica, Antônio André Cunha Callado

Resumo


O presente artigo teve o objetivo analisar as relações entre as características organizacionais do setor de controladoria e o nível de sustentabilidade em empresas agroindustriais do setor sucroalcooleiro. Para atingir o objetivo proposto, foi realizada uma pesquisa descritiva, exploratória e quantitativa considerando 13 das 15 empresas do setor, que estão em funcionamento e representam 86,66% do universo. Foram consideradas características organizacionais do setor e o nível de sustentabilidade empresarial das agroindústrias investigadas. Para a estimação do nível de sustentabilidade empresarial foram adotados os procedimentos propostos pelo Grid de Sustentabilidade Empresarial. Os achados da pesquisa indicam a presença de relações estatisticamente significativas entre duas das características testadas e o nível de sustentabilidade empresarial.

Palavras-chave


Desempenho; Desempenho sustentável; Agronegócio.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, L. B., Parisi, C. & Pereira, C.A. (2001). Controladoria. In. Controladoria: Uma Abordagem da Gestão Econômica–GECON, v. 2, p. 369-381. Armando Catelli (Coordenador). São Paulo: Atlas, 2001.

Andrade, M. M. de. (2002). Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação: noções práticas. São Paulo: Atlas.

Anthony, R. N. & Govindarajan, V. (2002). Sistemas de Controle Gerencial. São Paulo, Atlas.

Beuren, I.M. (2012). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade. 2. Ed. São Paulo: Atlas.

Borinelli, M. L. Estrutura conceitual básica da controladoria: sistematização à luz da teoria e da práxis, 2006. Tese de Doutorado em Ciências Contábeis. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006

Callado, A. L. C. (2010). Modelo de mensuração de sustentabilidade empresarial: uma aplicação em vinícolas localizadas na Serra Gaúcha. Porto Alegre: UFRGS, 2010. Tese (doutorado). Centro de Estudos e Pesquisas em Agronegócios, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010.

CONDEPE/FIDEM. (2013). Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco. Pernambuco: Estudos e Pesquisas Estatísticas. Recife.

Crespo, A.A. (1998). Estatística Fácil, Saraiva, São Paulo.

Crozatti, J. (1999). Planejamento Estratégico e Controladoria: um modelo para potencializar a contribuição das áreas da organização. Revista Enfoque – Reflexão Contábil, Maringá, v. 18, n. 1, p.12-21, jan/jun.

Figueiredo, S. & Caggiano, P. C. (1997). Controladoria: teoria e prática. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Horngreen, C. T., Sundem, G. L. & Stratton, W. O. (2004). Contabilidade gerencial. 12ed. São Paulo: Pearson.

Horváth, P. (2006). Controlling. 10.ed. München: Verlag Vahlen.

Levine, D. M., Stephan, D; Krehbiel, T.C. & Berenson, M. L. (2011). Estatística: teoria e aplicações – usando MS-Excel. LTC –Livros Técnicos e Científicos.

Lunkes, R. J. & Schnorrenberger, D. (2009). Controladoria: na coordenação dos sistemas de gestão – São Paulo: Atlas.

Lunas, A.L. & Lustosa, P.R.B. (2015). Benefício econômico do bagaço da cana-de-açúcar: um estudo no setor sucroenergético do Sudoeste goiano. Custos e @gronegócio on line, v. 11, n. 2, p. 342-369.

Marion, J. C., Dias, R. & Traldi, M. C. (2002). Monografia para os Cursos de Administração, Contabilidade e Economia. São Paulo: Atlas.

Morgan, G. (1996). Imagens da organização. São Paulo: Atlas.

Mossimann, C. P. & Fisch, S. (1999). Controladoria - seu papel na administração de empresas. 2. ed. São Paulo: Atlas.

Oliveira, D. P. R. (1998). Sistemas de informações gerenciais. 5 ed. São Paulo: Atlas.

Padoveze, C. L. (2004). Controladoria básica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Peleias, I. R. (2002). Controladoria: gestão eficaz utilizando padrões. São Paulo: Saraiva.

Pereira, N.A. & Tavares, M. (2017). Eficiência das principais regiões produtoras de cana-de-açúcar por meio da Análise Envoltória Lunas, A.L. & Lustosa, P.R.B. (2015). Benefício econômico do bagaço da cana-de-açúcar: um estudo no setor sucroenergético do Sudoeste goiano. Custos e @gronegócio on line, v. 11, n. 2, p. 342-369.de Dados (DEA). Custos e @gronegócio on line, v. 13, Edição Especial, p. 37-70.

Rampazzo, L. (2002). Metodologia científica. Edições Loyola.

Souza, M. V. (1993). Redes de microcomputadores: aplicações e utilidade para a controladoria. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis, Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

Tung, N. H. (1993). Controladoria Financeira das Empresas: uma abordagem prática. 8ª ed. São Paulo: EDUSP.

Valadares, M. C. B. (2002). Planejamento Estratégico Empresarial. QualityMark, Rio de janeiro.

Yoshitake, M. (1982). Funções do Controller: conceitos e aplicações de controle gerencial. São Paulo. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis, Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Management Control Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.