VALUATION: UM ESTUDO SOBRE AS ESTIMATIVAS GERADAS PELA AVALIAÇÃO DE MÚLTIPLOS COMPARADAS AO VALOR DE MERCADO DAS EMPRESAS PERTENCENTES AO SETOR DE EDUCAÇÃO DA BM&FBOVESPA

Sheila Mirian Barbosa Israel, Adilson Celestino de Lima

Resumo


Esta pesquisa traçou como objetivo comparar as estimativas resultantes do método de avaliação de múltiplos com o valor de mercado das empresas do segmento de educação listadas na BM&FBOVESPA. O método dos múltiplos é apontado tanto na literatura, quanto no mercado empresarial como um dos mais utilizados para se avaliar uma empresa. Caracterizado como um método simplista, deve aplicado em empresas comparáveis, pertencentes a um mesmo segmento de atuação. Esta pesquisa classificou-se como exploratória-descritiva, cujos procedimentos foram de cunho bibliográfico e documental, utilizando-se de dados secundários, tratados estes através de estatística descritiva e inferencial. A amostra classificada como amostra não probabilística intencional, utilizou de dados de empresas listadas na BM&FBOVESPA. No que tange as empresas analisadas ANIM3, ESTC3, KROT3 e SEER3, os resultados apontaram que estimativas geradas pelo método podem muito se aproximar do valor de mercado, como também, gerar diferenças significativas de valor. A estimativa que mais se aproximou do valor de mercado foi a resultante do múltiplo do EBITDA (ANIM3 - valor de mercado 1.077.648 / estimativa 1.099.217), diferença de 68.432 milhões, representando 6,35% do valor de mercado. O que não o classifica de forma generalizada como o melhor múltiplo de utilização, uma vez que, a estimativa do Múltiplo do EBITDA, no que se refere a empresa SEER3, foi a que mais se distanciou do valor de mercado da empresa com uma diferença significativa de 50,00% (valor de mercado 2.462.814 / estimativa 1.231.498). Estatisticamente, o modelo que obteve maior poder explicativo, com base no R2 ajustado, foi o modelo do patrimônio líquido com 69,64%, seguido do modelo de lucro 66,35% e EBITDA 58,13%. Quanto as variáveis analisadas, as variáveis lucro e patrimônio líquido demonstraram significância estatística de, respectivamente, 94,46% e 97,08%. Já a variável EBITDA, não demonstrou significância estatística obtendo p = 0.2422, nível de confiança de 75,78%.


Palavras-chave


Avaliação de Empresas; Avaliação por Múltiplos; Valuation.

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, L. C., Rezende, C. F., & Ribeiro, K. C. S. (2013). Comparativo de métodos de valuation: análise do caso Hering S/A. Anais do Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Salvador, BA, Brasil, 33.

Assaf Neto, A. (2010). Finanças corporativas e valor. (5. ed.) São Paulo: Atlas.

Assaf Neto, A. (2014). Valuation: métricas de valor & avaliação de empresas. São Paulo: Atlas.

Block, S. (2010). Methods of valuation: Myths vs. reality. The Journal of Investing, 19(4), 7-14.

Boufet, L. S. (2006) Métodos de valoração de empresas: estudo de caso em uma empresa supermercadista. Dissertação de Mestrado (Administração). Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Boykin, J. H., & Gray, M. T. (1994). The relevance and application of the gross income multiplier. The Appraisal Journal, 62(2), 203-203.

Brandão, J. W., Inocêncio, F. C., Correia Neto, J. F. & Rebouças, S. M. D. P. (2015). Análise dos múltiplos de empresas brasileiras segundo o modelo REVAAM. Revista de Finanças Aplicadas, 1(1), 1-32.

Cabral, L. L, Cunha, M. F., de. Machado, C. A., & Rech, I. J. (2014). Custo do capital próprio como taxa de desconto na avaliação de empresas no Brasil: evidências entre a teoria e a prática de mercado. Revista de Contabilidade da UFBA, 7(3), 5-22.

Cerbasi, G.P. (2003). Metodologias para determinação do valor das empresas: Uma aplicação no setor de geração de energia hidrelétrica. Dissertação de Mestrado (Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Costa Júnior, C. J. (2011). Avaliação de bancos: projeção das demonstrações de resultado do exercício (DRE) com enfoque em modelos econométricos. Revista de Economia, 7(2), 87-103.

Cunha, M. F. (2011) Avaliação de empresas no Brasil pelo fluxo de caixa descontado: evidências empíricas sob o ponto de vista do desempenho econômico-financeiro. Tese de Doutorado (Contabilidade). Universidade de São Paulo.

Damodaran, A. (2002). A face oculta da avaliação: avaliação de empresas da velha tecnologia, da nova tecnologia e da nova economia. São Paulo: Makron Books.

Damodaran, A. (1997). Avaliação de investimentos: ferramentas e técnicas para a determinação do valor de qualquer ativo. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Demirakos, E. G., Strong, N. C., & Walker, M. (2004). What valuation models do analysts use? Accounting Horizons, 18(4), 221-240.

Faseruk, A. (2008) A review of accrual accounting and cash flow techniques for use in equity valuation. Management Research News, 31(6), 418-433.

Fernández, P. (2015). Company valuation methods. IESE Business School, University of Navarra. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.274973 >. Acesso em 07 jan. 2017.

Fernández, P. (2001). Valuation using multiples. How do analysts reach their conclusions? Disponível em: . Acesso em 09 jun. 2017.

Holanda, F. M. A., Albuquerque, L. S., Carvalho, J.R., & Cavalcanti, P. R. N. (2007). Avaliação de empresas: uma abordagem das diversas metodologias. Revista Ciências Administrativas, 13(1), 100-109.

Kazmier, L. J. (2007). Estatística Aplicada à Economia e Administração. (4. ed.) São Paulo: Bookman.

Kim, M., & Ritter, J. R. (1999). Valuation IPO´s. Journal of Financial Economics. 53, 409-437.

Lima, A. C. (2008). Determinantes de valor do ativo intangível nas empresas produtoras de tecnologia da informação e comunicação do Porto Digital. Tese de Doutorado (Administração). Universidade Federal de Pernambuco.

Lima, A. V., & Vides, D. (2006). Avaliação de pequenos negócios no ramo de refeições ligeiras. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa. (5)2.

Liu, J., Nissim D., & Thomas, J. (2002). Equity valuation using multiples. Journal of Accounting Research, Hoboken, 40(1), 135-172.

MacCusker, (2007, july) Multiple choice? An industry level analysis of equity valuation using multiplex. Working paper. Faculty of Economics and Commerce the University of Melbourne.

Martelanc, R.; Pasin, R.; & Cavalcante, F. (2005). Avaliação de empresas: um guia para fusões e aquisições e gestão de valor. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Martelanc, R., Trizi, J. S., Pacheco, A. A. S., & Pasin, R. M. (2005). Utilidade de metodologias de avaliação de empresas: resultado de uma pesquisa no Brasil. Anais do Seminário em Administração, FEA/USP-SEMEAD, São Paulo, 2005, 8.

Martins, E. (org.). (2001). Avaliação de empresas: da mensuração contábil à econômica. FIPECAFI – Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras. São Paulo: Atlas.

Montandon, M. M., Siqueira, J. R. M., & Ohayon, P. (2007). Avaliação de Empresas em Perícias Contábeis: um Estudo de Casos. Pensar Contábil, 10(9), 1-15.

Monte, P. A., Araújo Neto, P. L. A., & Rêgo, T. F. (2009). Avaliação de empresas pelo Método do Fluxo de Caixa Descontado: o caso da Aracruz Celulose S/A. Revista Contemporânea de Contabilidade, 1(11), 37-58.

Muller, A. N. (2003). Fluxo de caixa descontado, lucros capitalizados e lucros excedentes: o desempenho dos modelos de avaliação de empresas. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, UFSC, Florianópolis.

Muller, A. N., & Teló, A. R. (2003). Métodos de avaliação de empresas. Revista FAE, 6(2), 97-112.

Nascimento, R. C. (2013). Análise das Metodologias Aplicadas em Avaliação de Empresas no Contexto Brasileiro: um Estudo sobre as Ofertas Públicas de Aquisição (OPA). Revista de Finanças Aplicadas. 1, 1-15.

Pasin, R. M. (2004). Avaliação relativa de empresas por meio de regressão de direcionadores de valor. Dissertação de Mestrado (Administração). Universidade de São Paulo.

Penman, S. H. (2005). Discussion of ‘‘On Accounting-Based Valuation Fórmulae’’ and ‘‘Expected EPS and EPS Growth as Determinants of Value’. Review of Accounting Studies, 10.

Ohlson, J. A., & Lopes, A. B. (2007). Avaliação de empresas com base em números contábeis. Brazilian Business Review, 4(2), 96-103.

Oliveira, T. B. P., & Oliveira, M. R. G. (2015). Abordagem estocástica na avaliação econômico-financeira do processo de fusões e aquisições – F&A: estudo de caso da TOTVS S/A. Revista Contemporânea de Economia e Gestão. 13(3).

Pricewaterhouse Coopers. Fusões e Aquisições no Brasil. Dezembro, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 de abril, 2017.

Raifur, L. (2008). Teoria e prática em avaliação de empresas: estudo exploratório dos laudos da CVM nos anos de 2006 e 2007. Dissertação de Mestrado (Contabilidade). Universidade Federal de Paraná.

Saliba R. V. (2008). Aplicação de modelos de avaliação por múltiplos no Brasil. Revista Brasileira de Finanças. 6(1), 13-47.

Saurin, V., & Costa Júnior, N. C. A. (1997). O valor mínimo de uma empresa: estudo de caso. Revista de Negócios. 2(4), 51-57.

Ser Educacional. A companhia. Análise setorial. Disponível em: http://ri.sereducacional.com/sereducacional/web/conteudo_pt.asp?idioma=0&conta=28&tipo=47925>. Acesso em 15 de junho, 2017a.

Soute, D. O., Martins, E., Schvirck, E., & Machado, M. R. (2008). Métodos de avaliação utilizados pelos profissionais de investimento. Contabilidade, Gestão e Governança, 11(1-2), 1-17.

Teixeira, E. E. M., Barbosa, F. V., & Souza, A. A. (2012). Análise do desempenho de longo prazo de Initial Public Offerings no mercado acionário brasileiro. Revista de Ciências da Administração, 14(33), 79-92.

Zonatto, V. C. da S., Grande, J. F.; Hoeltgebaum, M., & Lyra, R. L. W. C. de. (2006). Comparative study about the methods of companies evaluation for determination of the business value: an approach among discounted cash flow, relative evaluation, patrimonial method, model of EVA/ MVA and model of the real options. Anais do International Conference on Information Systems and Technology Management - CONTECSI,, São Paulo, SP, Brasil, 6.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Management Control Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.