UM ENFOQUE SOBRE O CONTROLE INTERNO NO SETOR DE COMPRAS DE UMA INDÚSTRIA DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS PARAIBANA

Cyntia Micaella Amorim Lustosa, Karla Katiuscia Nóbrega Almeida, Maria Daniella Oliveira Pereira Silva

Resumo


A pesquisa teve o objetivo de verificar o grau de aderência ao Internal Control – Integrated Framework, proposto pelo Committee Of Sponsoring Organizations- COSO, em uma indústria de revestimentos cerâmicos paraibana. O estudo delimitou-se a analisar o setor de compras da indústria, utilizando os seguintes métodos de pesquisa: descritiva, bibliográfica, documental, com características de estudo de caso e predominantemente qualitativa. A coleta de dados foi realizada mediante a aplicação de um questionário, estruturado por 48 questões, com questões dicotômicas (“sim” ou “não”), que trataram sobre os componentes de controle interno sugeridos pelo COSO. Além disso, foi realizada uma análise de documentos e observação direta. Para verificar qual o grau de aderência ao modelo COSO no setor de compras, foi realizado o cálculo do percentual médio das respostas para a alternativa “sim”. Os resultados levantados evidenciam que os componentes que apresentaram maior percentual médio de respostas afirmativas, ou seja, maior aderência, foram as “atividades de controle” e “informação e comunicação”. Desse modo, no setor estudado existe uma aderência parcial, entre 60% e 77% dos componentes de controle interno sugeridos pelo COSO. Portanto, os maiores esforços são direcionados para as “atividades de controle” e “informação e comunicação”, divergindo das orientações do COSO, quando orienta que a concentração de esforços deve ocorrer em elementos de “monitoramento”.


Palavras-chave


Controle Interno; COSO; Compras.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, M. C. (2003). Auditoria: um curso moderno e completo. 6. ed. São Paulo: Atlas.

Andrade, R. O. B. & Amboni, N. (2011) Fundamentos da administração: para cursos de gestão. Rio de Janeiro: Elsevier.

Boynton, W. C., Johnson, R. N., & Kell, W. G. (2002) Auditoria. 7. ed. São Paulo: Atlas.

Cannavina, V. C. (2014). Os controles internos das entidades da administração pública direta do Poder Executivo Federal: um estudo baseado nos relatórios de gestão referentes à prestação de contas anual ao Tribunal de Contas da União. In Congresso Anpcont. Recuperado de http://www.furb.br/_upl/files/especiais/anpcont/2014/99_3.pdf?20141017190056

Carpes, A., & Oro, I. M. (2010). Analise do ambiente de controle interno nas cooperativas agropecuárias do estado de Santa Catarina: uma investigação alicerçada na perspectiva da metodologia COSO. In CONGRESSO USP DE INICIAÇÃO CIENTIFICA EM CONTABILIDADE (Vol. 7). Recuperado de www.congressousp.fipecafi.org/web/artigos102010/569.pdf

COSO (2013). Controle Interno – Estrutura Integrada. 2013. Recuperado de http://www.iiabrasil.org.br/new/2013/downs/coso/COSO_ICIF_2013_Sumario_Executivo.pdf

Fonseca, D. L., Vieira, T.A., & Cabral, A. G. (2012). O uso do sistema de controle interno em empresas industriais na cidade de Itabira/MG. In Congresso Brasileiro de Contabilidade, 19, 2012. Anais... Recuperado de http://www.congressocfc.org.br/index-trabalhos.html

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Goularte, J. L. L; Silva, E. A. C & Costa, C. F (2012) Controles Internos na Farmácia Básica do Município de Sant’ana do Livramento/RS. In Congresso Brasileiro de Contabilidade, 19, 2012. Anais... Recuperado de http://www.congressocfc.org.br/index-trabalhos.html.

Hurt, R. L. (2013). Sistemas de informações contábeis: conceitos básicos e temas atuais. 3. ed. Porto Alegre: AMGH Editora Ltda.

Neves, R. & BOYA, V. (2010). Características do controle interno com base na estrutura COSO: um estudo de caso. Revista Eletrônica das Faculdades Sudamérica. Recuperado de http://www.sudamerica.edu.br/revista/?p=265

Oliveira, C. D. M. (2014). Controle interno: um estudo da produção científica nos periódicos brasileiros no período de 2003 a 2013. 2014. Recuperado de www.fucape.br/premio_excelencia_academica/upld/trab/14/35.pdf

Peleias, I. R. (2003). Temática Contábil e Balanços: O controle interno no ciclo compras/contas a pagar/ pagamentos. Boletim IOB 9.

Perera, L. C. J., de Freitas, E. C., & Imoniana, J. O. (2014). Avaliação do sistema de combate às fraudes corporativas no Brasil. Revista Contemporânea de Contabilidade, 11(23), 03-30.

Prodanov, C. C., & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Universidade Feevale.

Ribeiro, L. M. P., & Timóteo, A. C. (2012). A Adoção dos controles internos em uma organização do terceiro setor como sustentabilidade econômica: um estudo de caso em uma associação de Minas Gerais. Revista Contemporânea de Contabilidade, 9(17), 61-82.

Silva, W. A. C., Rocha, A. M., & Melo, A. A. O. (2011). Sistema de gerenciamento e controle interno: uma análise dos escritórios de contabilidade de Belo Horizonte/MG e região metropolitana a partir da Taxonomia de Kaplan e Cooper. Revista de Contabilidade e Organizações, 5(11), 125-144.

Souza, C. O., & Damascena, L. G. O CONTROLE INTERNO NA GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL: Estudo de caso na Prefeitura de Itaporanga–PB. Recuperado de portal.virtual.ufpb.br/.../o_controle_interno_na_gestao_pablica_municip.

Silva, E., Peixoto, R., & Farias, K. (2011). Controle interno das empresas supermercadistas da região metropolitana de Belém: uma análise utilizando o modelo do Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission–COSO. In 8º Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, São Paulo.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Management Control Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.