CONTRIBUIÇÃO APRECIATIVA PARA A CRIAÇÃO DE UMA CONTROLADORIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO

Márcio Mateus Aquino, Rezilda Rodrigues Oliveira

Resumo


Este artigo busca analisar como a Investigação Apreciativa (IA) pode contribuir para a proposta de criação de uma Controladoria no âmbito da Auditoria Interna do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (AUDI/IFPE). Utilizou-se temáticas ligadas à controladoria no setor público, junto com a abordagem de questões de inovação e mudança, na ótica da IA. A pesquisa tem características exploratória, descritiva, explicativa e intervencionista. A estratégia do estudo de caso alimentou-se de dados documentais e oficinas apreciativas, através das quais se realizou o recorte do modelo de 5-D: 1-D Definition/Definição, 2-DDiscovery/Descoberta, 3-DDream/Sonho, 4-D Design/Planejamento e 5-D Destiny/Destino. Assim, por escolha dos autores, neste trabalho focaliza-se o 1-D, 3-D e 4-D. Das discussões e análises dos dados coletados participaram os membros do grupo colaborativo, constituído pelos auditores e pessoal das áreas estratégica, operacional e de apoio do órgão. Os resultados revelaram que a criação de uma controladoria no âmbito da AUDI/IFPE projeta o fortalecimento das macrofunções do controle interno e a própria governança pública, desde a alta administração até aos que atuam nas atividades finalísticas do IFPE. Igualmente, foram estabelecidas as bases para a adoção das três linhas de defesa, constituída pelas gerências/controladoria/auditoria interna da entidade. Propôs-se que a nova controladoria seja vinculada à Pró-Reitoria de Integração e Desenvolvimento Institucional (PRODIN), tendo-se visualizado a realização do planejamento da AUDI/IFPE em novas bases, com a implantação e avaliação dos controles, de modo a fomentar uma cultura de boas práticas de governança.

Palavras-chave


Auditoria Interna; Investigação Apreciativa; Controladoria.

Texto completo:

PDF

Referências


Beuren, I. M. (2002) O papel da controladoria no processo de gestão. IN: Schimidt, P. (org.) Controladoria: agregando valor para a empresa. Porto Alegre: Bookmann.

Beuren, I. M., Schilindwein, A. C., & Pasqual, D. L. (2007) Abordagem da Controladoria em trabalhos publicados no EnANPAD e no congresso USP de Controladoria e Contabilidade de 2001 a 2006. Revista de Contabilidade e Finança, 18 (45), 22-37.

Acórdão nº 1.171/2017 – TCU Plenário Auditoria Governamental Recuperado de: pesquisa.in.gov/imprensa/jps/visualiza/index.jps?data=21/06/2017&jornal=1&pagina=70&totalArquivos=152.

Decreto Nº 3.591, de 06 de setembro de 2000. Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal e dá outras providências. Recuperado de: http://www.dnit.gov.br/download/institucional/comissao-de-etica/legislacao/legislacao-geral/Decreto%20No%20%203.591-2000%20-%20Sistema%20de%20Controle%20Interno%20Executivo.pdf.

Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Borinelli, M. L. (2006) Estrutura Conceitual Básica de Controladoria: Sistematização à luz da Teoria e da Praxis. (Tese de Doutorado em Ciências Contábeis). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo.

Borinelli, M.L., & Rocha, W. (2006) Práticas de Controladoria: Um Estudo nas cem maiores empresas privadas que atuam no Brasil. In Anais do VII Congresso FIPECAF, São Paulo, 7.

Conselho Nacional de Controle Interno. Diretriz para o Controle Interno no Setor Público. Brasília: CONACI, (2010). Recuperado de: http://conaci.org.br/wp-content/uploads/2012/05/DiretrizesparaControleInternonoSetorPublico.pdf.

Cooperrider, L., & Whitney, D. (2006) Investigação apreciativa: uma abordagem positive para gestão de mudanças. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Cooperrider, L., Whitney, D., & Stravos. J. M. (2008) Manual da Investigação Apreciativa - Para Líderes da Mudança. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Cooperrider, D.L., & Srivastva, S. (2008) Investigação Apreciativa na vida organizacional. In Cooperrider, L., Whitney, D., & Stravos. J. M. (Org.) Manual da Investigação Apreciativa - Para Líderes da Mudança. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Corbari, E.C., Weck, J.C.D.S., Cabral, P.W., Pereira, T.C.G., & Macedo, J. D. J (2013) Controladoria governamental: uma investigação de suas funções no Poder Executivo Estadual. Caderno de Gestão Pública, 3 (2), 119-136.

Committe of Sponsoring Organizations of the Treadway Comission – COSO – Controle Interno – Estrutura Integrada. Sumário Executivo Traduzido por PWC (2013, Maio). Recuperado de: http://www.iiabrasil.org.br/new/2013/downs/coso/COSO_ICIF_2013_Sumario_Executivo.pdf.

Daher, G. F., Machado, M. V. V., Coelho, N. S., & Miranda, V. O. A. (2017) Controladoria no setor público: um estudo teórico-prático no município de Aquiraz-CE. Revista Controle-doutrinas e artigos, 15 (1), 367-397.

Durigon, A. R., & Diehl, C. A. (2014) Controladoria no Setor Público: uma Análise dos Artigos Publicados no Congresso USP de Controladoria e Contabilidade-Período de 2001 a 2011. Contabilidade Vista & Revista, 24 (2), 91-109.

Gaskell, G. (2013) Entrevistas individuais e grupais. IN: Bauer, M. W.; Gaskell, G. (Org). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. 11 ed. Petrópolis: Vozes.

Gergen, M. M., & Gergen, K. J. (2006) Investigação qualitativa: tensões e transformações. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed.

Godoy, A. S. (1995) Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de empresas, 35 (3), 20-29.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE. Relatório de Gestão do Exercício de 2016 (2017). Recuperado de: http://www.ifpe.edu.br/acesso-a-informacao/auditorias/processos-de-contas/relatorio-de-gestao-2016.pdf.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE. Estatuto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco. (2009). Recuperado de: http://www.ifpe.edu.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/estatuto-do-ifpe.pdf/view.

Imoniana, J., & Nohara, J. J. (2005) Cognição da Estrutura de Controle Interno: Uma pesquisa exploratória. Base – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 2 (1) 37–46.

Lunkes, R. J., Schnorrenberger, D., Gasparetto, V., & Vicente, E. F. R. (2009) Considerações sobre as funções da controladoria nos Estados Unidos, Alemanha e Brasil. Revista Universo Contábil, 5 (4), 63-75.

Lunkes, R. J., & Schnorrenberger, D. (2009) Controladoria: na coordenação dos sistemas de gestão. São Paulo: Atlas.

Macêdo, F. F. R. R., & Lavarda, C. E. F. (2013) Características da Produção Científica Nacional e Internacional Sobre Orçamento Público, Orçamento Participativo e Controladoria Pública no Período na Primeira Década do Século XXI. Administração Pública e Gestão Social, 5 (1), 34-42.

Marujo, H. Á., Neto, L. M.; Caetano, A., & Rivero, C. (2007) Revolução positiva: Psicologia positiva e práticas apreciativas em contextos organizacionais. Comportamento organizacional e gestão, 13 (1), 115-136.

Moreira, M. A., Dias, A. G. S., & Souza, P. M. (2017) Controle Interno como Instrumento de Gestão Pública. Revista de Informação Contábil, 11 (4), 39-53.

Nascimento, P. S. (2016) O Estudo do Núcleo Positivo do Programa de Pós-Graduação em Nutrição da UFPE. (Dissertação Mestrado) Mestrado Profissional em Gestão Pública para o Desenvolvimento do Nordeste, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, Recife, PE , Brasil. Recuperado de: https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/25040/1/DISSERTA%C3%87%C3%83O%20Paulo%20S%C3%A9rgio%20Oliveira%20do%20Nascimento.pdf.

Nascimento, P. S. O, .& Oliveira, R. R. (2017). Avaliação apreciativa do Programa de Pós-Graduação em Nutrição da Universidade Federal de Pernambuco. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, 10 (4), 180-203.

Neves, J. L. (1996) Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Caderno de pesquisas em administração, São Paulo, 1 (3), 1-5.

Oliveira, L. M., Perez Junior, J. H., & Silva, C. A. S. (2009) Controladoria estratégica. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Pisa, B. J., Oliveira, A. G., & Júnior, A B. L. (2016) Controladoria Governamental como instrumento de governança e Efetividade das Políticas Públicas: uma análise da atuação da Controladoria Geral da União. Gestão Contemporânea, (17). Recuperado de: https://www.researchgate.net/profile/Antonio_Oliveira62/publication/313510885_Controladoria_Governamental_como_instrumento_de_governanca_e_Efetividade_das_Politicas_Publicas_uma_analise_da_atuacao_da_controladoria_geral_da_uniao/links/589cc75445851573881bf6bc/Controladoria-Governamental-como-instrumento-de-governanca-e-Efetividade-das-Politicas-Publicas-uma-analise-da-atuacao-da-controladoria-geral-da-uniao.pdf..

Ribeiro, C. P. P., Silva, J. V., Abrantes, L. A., Ferreira, M. A. M. (2012) A Controladoria e a Lei de Responsabilidade Fiscal gerando informações para a tomada de decisão. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC. Recuperado de: https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/view/198/198.

Robins, S. P. (2005) Comportamento Organizacional. 11 ed. São Paulo: Perason Prentice Hall.

Rodniski, C. M., & Diehl, C. A. (2012) O Papel da Controladoria em Relação ao Grau de Centralização das Organizações. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 7 (1) 7-22.

Slomski, V. (2001) Manual de contabilidade pública: um enfoque na contabilidade municipal. São Paulo: Atlas.

Souto, S. D. A. S. Configuração Institucional da Secretária da Controladoria-Geral do Estado de Pernambuco: uma perspectiva institucional e apreciativa. (Dissertação de Mestrado), Programa de Pós-Graduação em Controladoria, Universidade Federal Rural em Pernambuco - UFRPE, Recife – PE, Brasil. Recuperado de: http://www.ppgc.ufrpe.br/sites/ww3.ppgc.ufrpe.br/files/documentos/009_saulo_diogenes_azevedo_santos_souto.pdf.

The Institute of Internal Auditors - IIA (2013) Declaração de Posicionamento do IIA: As Três Linhas de Defesa no Gerenciamento Eficaz de Riscos e Controles. Recuperado de: http://www.iiabrasil.org.br/new/2013/downs/As_tres_linhas_de_defesa_Declaracao_de_Posicionamento2_opt.pdf.

Triviños, A. N, S. (1994) A Pesquisa Qualitativa em Educação. São Paulo: Atlas.

Trosten-Bloom, A. (2003) Evolving approaches to design at Hunter Douglas Window Fashions Division. AI Practitioner: International Journal of Appreciative Inquiry. 6-10.

Vargas, S. B. (2016) Práticas de controladoria adotadas em empresas de setores sob regulação governamental sediadas no Brasil. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Rios dos Sinos - UNISINOS, São Leopoldo, RS, Brasil.

Vergara, S. C.(2010) Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 12. ed. São Paulo: Atlas.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Management Control Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.