Avaliação do lixo marinho nas praias do norte da ilha de São Francisco do Sul, SC

Autores

Resumo

O Brasil possui mais de 7.400 km de extensão de linha costa, sendo que cinco das nove maiores regiões metropolitanas situam-se na zona costeira. Metade da população brasileira reside a menos de 200 km de distância do mar, e não possui rede de coleta de esgoto ou coleta de lixo, intensificando os problemas ambientais dessas regiões. Diante dessa situação, o objetivo do presente estudo foi analisar e quantificar o lixo marinho nas praias do balneário norte da ilha de São Francisco do Sul, no estado de Santa Catarina. O lixo marinho foi coletado em cinco pontos nas praias do Forte e do Capri, com coleta em cada estação do ano. O material foi coletado por meio de varredura, acondicionados em sacos plásticos e no laboratório foram secos, pesados e separados nas seguintes categorias: plástico, metal, vidro, borracha, papel, tecido e outros. A quantidade total de resíduos coletado em todos os pontos ao longo de um ano foi de 74 kg. O material de maior ocorrência ao longo do período estudado foi o plástico, que representou 50,17 % do lixo marinho coletado. A estação do ano com maior ocorrência de lixo marinho foi o inverno, que representou 57,40 % de todo o material. Os pontos de coleta situados em zonas de maior incidência de ondas e maior intensidade de corrente longitudinal apresentaram maior quantidade de lixo marinho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celso Voos Vieira

Geógrafo, mestre e doutor em Geografia pela UFSC, área de concentração: Utilização e Conservação de Recursos Naturais, linha de pesquisa: Geologia Marinha e Oceanografia Costeira. Professor na Universidade da Região de Joinville, onde leciona para os cursos de graduação de Biologia, Biologia Marinha, Arquitetura, Engenharia Civil, Engenharia Ambiental e Sanitária e para o Programa de Pós-graduação. Possui conhecimento avançado em Cartografia, SIG, Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto, Aerofotogrametria, assim como na área das Ciências da Terra, em estudos e pesquisas no âmbito da Geomorfologia, mapeamento geomorfológico, Geologia e Geomorfologia Costeira, dinâmica costeira e hidrologia.

Referências

AEA. AGENCIA EUROPEIA DO AMBIENTE. O lixo nos nossos mares. [S. l.], 2014.

ARAUJO, M. C. B.; CAVALVANTI, J. S. S.; COSTA, M. F. Anthropogenic Litter on Beaches With Different Levels of Development and Use: A Snapshot of a Coast in Pernambuco (Brazil). Frontiers in Marine Science, [S. l.], v. 5, n. 233, p. 10, 2018.

ARAÚJO, M. C. B.; COSTA, M. F. Environmental quality indicators for recreational beaches classification. Journal of Coastal Research, [S. l.], v. 24, n. 6, p. 1439–1449, 2008.

ARIZA, E. et al. Proposal for an Integral Quality Index for Urbanand Urbanized Beaches. Environmental Management, [S. l.], v. 45, p. 998–1013, 2010.

BATISTA-NETO, J. A.; FONSECA, E. M. Variação sazonal, espacial e composicional de lixo ao longo das praias da margem oriental da Baía de Guanabara (Rio de Janeiro) no período de 1999-2008. Integrated Coastal Zone Management, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 31–39, 2011.

BEVILACQUA, A. H. V.; TIBÉRIO, C. K.; GONZALES, M. A. D. Análises da influência do lixo marinho em uma comunidade tradicional caiçara, Ilha do Cardoso – SP. 2011. [S. l.], 2011.

BEZERRA, A. G. Resíduos sólidos ingeridos por tetrápodes marinhos encalhados no litoral norte de Santa Catarina – Brasil. 2016. [S. l.], 2016.

BOTERO, C.; ANFUSO, G.; T. WILLIANS, A.; ZIELISNKY, S.; DA SILVA, C. P. CERVANTES, O.; SILVA, L.; CABRERA, J. A. Reasons for beach choice: European and Caribbean perspectives. J Coastal Res, [S. l.], v. 1, n. 65, p. 880–885, 2013.

BRANDÃO, M. C.; GARCIA, C. A. E.; FREIRE, A. S. Large-scale spatial variability of decapod and stomatopod larvae along the South Brazil Shelf. Continental Shelf Research, [S. l.], v. 107, n. 11–23, 2015.

CHAVES, P. T.; ROBERT, M. C. Extravio de petrechos e condições para ocorrência de pesca-fantasma no litoral de Santa Catarina e sul do Paraná. Boletim do Instituto de Pesca, [S. l.], v. 35, n. 3, p. 513–519, 2009.

CHITAKA, T. Y.; BLOTTNITZ, H. Von. Accumulation and characteristics of plastic debris along five beaches in Cape Town. TownMarine Pollution Bulletin, [S. l.], v. 138, p. 451–457, 2019.

CRISTOFOLINI, J.; VIEIRA, C. V.; MELO-JR., J. C. F. Relationship between the sand spit geomorphology and restinga vegetation in São Francisco do Sul Island, south region of Brazil. International Journal of Development Research, [S. l.], v. 7, 2017.

DANTAS, D. V.; BARLETTA, M.; RAMOS, J. A. A.; LIMA, A. R. A.; COSTA, M. F. Seasonal diet shifts and overlap between two sympatric catfishes in an estuarine nursery. Estuaries and Coasts, [S. l.], v. 36, p. 237–256, 2012.

DE ARAÚJO, M. C. B. Resíduos sólidos em praias do litoral sul de Pernambuco: origens e consequências. Global Garbage, [S. l.], 2003.

ERIKSEN, M.; LEBRETON, L. C. M.; CARSON, H. S.; THIEL, M.; MOORE, C. J.; BORERRO, J. C.; GALGANI, F.; RYAN, P. G.; REISSER, J. Plastic pollution in the world’s oceans: more than 5 trillion plastic pieces weighing over 250,000 tons afloat at sea. PLoS One, [S. l.], v. 9, p. 1–15, 2014.

AEA. AGENCIA EUROPEIA DO AMBIENTE. O lixo nos nossos mares. [S. l.], 2014.

ARAUJO, M. C. B.; CAVALVANTI, J. S. S.; COSTA, M. F. Anthropogenic Litter on Beaches With Different Levels of Development and Use: A Snapshot of a Coast in Pernambuco (Brazil). Frontiers in Marine Science, [S. l.], v. 5, n. 233, p. 10, 2018.

ARAÚJO, M. C. B.; COSTA, M. F. Environmental quality indicators for recreational beaches classification. Journal of Coastal Research, [S. l.], v. 24, n. 6, p. 1439–1449, 2008.

ARIZA, E. et al. Proposal for an Integral Quality Index for Urbanand Urbanized Beaches. Environmental Management, [S. l.], v. 45, p. 998–1013, 2010.

BATISTA-NETO, J. A.; FONSECA, E. M. Variação sazonal, espacial e composicional de lixo ao longo das praias da margem oriental da Baía de Guanabara (Rio de Janeiro) no período de 1999-2008. Integrated Coastal Zone Management, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 31–39, 2011.

BEVILACQUA, A. H. V.; TIBÉRIO, C. K.; GONZALES, M. A. D. Análises da influência do lixo marinho em uma comunidade tradicional caiçara, Ilha do Cardoso – SP. 2011. [S. l.], 2011.

BEZERRA, A. G. Resíduos sólidos ingeridos por tetrápodes marinhos encalhados no litoral norte de Santa Catarina – Brasil. 2016. [S. l.], 2016.

BOTERO, C.; ANFUSO, G.; T. WILLIANS, A.; ZIELISNKY, S.; DA SILVA, C. P. CERVANTES, O.; SILVA, L.; CABRERA, J. A. Reasons for beach choice: European and Caribbean perspectives. J Coastal Res, [S. l.], v. 1, n. 65, p. 880–885, 2013.

BRANDÃO, M. C.; GARCIA, C. A. E.; FREIRE, A. S. Large-scale spatial variability of decapod and stomatopod larvae along the South Brazil Shelf. Continental Shelf Research, [S. l.], v. 107, n. 11–23, 2015.

CHAVES, P. T.; ROBERT, M. C. Extravio de petrechos e condições para ocorrência de pesca-fantasma no litoral de Santa Catarina e sul do Paraná. Boletim do Instituto de Pesca, [S. l.], v. 35, n. 3, p. 513–519, 2009.

CHITAKA, T. Y.; BLOTTNITZ, H. Von. Accumulation and characteristics of plastic debris along five beaches in Cape Town. TownMarine Pollution Bulletin, [S. l.], v. 138, p. 451–457, 2019.

CRISTOFOLINI, J.; VIEIRA, C. V.; MELO-JR., J. C. F. Relationship between the sand spit geomorphology and restinga vegetation in São Francisco do Sul Island, south region of Brazil. International Journal of Development Research, [S. l.], v. 7, 2017.

DANTAS, D. V.; BARLETTA, M.; RAMOS, J. A. A.; LIMA, A. R. A.; COSTA, M. F. Seasonal diet shifts and overlap between two sympatric catfishes in an estuarine nursery. Estuaries and Coasts, [S. l.], v. 36, p. 237–256, 2012.

DE ARAÚJO, M. C. B. Resíduos sólidos em praias do litoral sul de Pernambuco: origens e consequências. Global Garbage, [S. l.], 2003.

ERIKSEN, M.; LEBRETON, L. C. M.; CARSON, H. S.; THIEL, M.; MOORE, C. J.; BORERRO, J. C.; GALGANI, F.; RYAN, P. G.; REISSER, J. Plastic pollution in the world’s oceans: more than 5 trillion plastic pieces weighing over 250,000 tons afloat at sea. PLoS One, [S. l.], v. 9, p. 1–15, 2014.

GALGANI, L.; BEIRAS, R.; GALGANI, F.; PANTI, C.; BORJA, A. Impact of Marine Litter. Frontiers ed. [s.l.] : Media SA, 2018.

GARCÍA-MORALES, G.; ARREOLA-LIZÁRRAGA, J. A.; MENDOZA-SALGADO, R. A.; ROSALES-GRANO, P.; GARCÍA-HERNÁNDEZ, J.; PADILLA-ARREDONDO, G.; ORTEGA-RUBIO, A. Análisis de la aptitud recreativa orientada a la gestión ambiental de la playa el Cochórit, Sonora, México. Rev. Int. Contam. Ambie, [S. l.], v. 33, p. 35–44, 2017.

GIRELLI, F. Um olhar sobre o manguezal: as representações dos moradores do bairro Espinheiros numa perspectiva do patrimônio natural. 2016. [S. l.], 2016.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Municípios defrontantes com o mar. 2018.

KUVADA, J. T.; TAKANO, J. Y. Avaliação da composição do lixo marinho oriundo Da pesca artesanal de arrasto de fundo do litoral do Paraná. 2011. [S. l.], 2011.

LAGO, V. M.; OLIVEIRA, P. A.; FARIAS, L. N. A.; HORTENCIO, C. A. Quantitative and qualitative analysis of the solid residues collected for five years in the World Beach Cleaning Day in the coastal region of Barra de Caravelas, BA. Revista Mosaicum, [S. l.], v. 27, p. 16, 2018.

LEITE, A.; SANTOS, L.; COSTA, Y.; HATJE, V. Influence of proximity to an urban center in the pattern of contamination by marine debris. Marine Pollution Bulletin, [S. l.], v. 81, n. 1, p. 242–247, 2014.

LIPPIATT, S.; OPFER, S.; ARTHUR, C. Marine Debris Monitoring and Assessment. Silver Spring: NOAA, [S. l.], n. 49, p. 88, 2013.

LUCREZI, S.; SAAYMAN, M.; MERWE, P. V. Na assessment tool for Sandy beaches: A case study for integrating beach description, human dimension, and economic factors to identify priority management issues. Ocean & Coastal Management, [S. l.], n. 121, p. 1–22, 2016.

MARIN, C. B.; NIERO, H.; ZINKE, I.; PELLIZZETTI, M. A.; SANTOS, P. H.; RUDOLF, A. c.; BELTRÃO, M.; WALTRICK, D. S.; POLETTE, M. Marine debris and pollution indexes on the beaches of Santa Catarina State, Brazil. Regional Studies in Marine Science, [S. l.], v. 31, n. 100771, 2019.

MARTINEZ, J. Tipologia e distribuição espacial do lixo na região da Vila de Encantadas (Ilha do Mel – Paraná – Brasil). Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina, [S. l.], 2005.

MMA. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Panorama da Conservação dos Ecossistemas Costeiros e Marinhos no Brasil. [S. l.], p. 148, 2010.

MMA. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Lixo Marinho. Contribuições para IV Conferência Nacional de Meio Ambiente. Subsídios para o Texto Base. Gerência Costeira., [S. l.], 2013.

MMA. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Programa Nacional Lixão Zero. Agenda Nacional de Qualidade Ambiental Urbana, [S. l.], n. Brasília, DF, p. 73, 2019.

NEVES, R.; SANTOS, A.; OLIVEIRA, K.; NOGUEIRA, D. Análise qualitativa da distribuição de lixo na praia da Barrinha (Vila Velha-ES). Integrated Coastal Zone Management, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 57–64, 2011.

PORTZ, L.; MANZOLLI, R.; DO SUL, I. J. A. Marine debris on Rio Grande do Sul north coast, Brazil: spatial and temporal patterns. Integrated Coastal Zone Managemen, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 41–48, 2011.

PROJETO TONINHAS. Estimativa de Toninhas potencialmente capturadas no interior da Baía Babitonga. Relatório Quadrimestre V, [S. l.], 2014.

RAMOS, J. A. A.; PESSOA, W. V. N. Fishing marine debris in a northeast Brazilian beach: Composition, abundance and tidal changes. Marine Pollution Bulletin, [S. l.], v. 142, p. 428–432, 2019.

RANGEL-BRUITRAGO, N.; CORREA, I. D.; ANFUSO, G.; ERGIN, A.; WILLIANS, A. T. Assessing and managing scenery of the Caribbean Coast of Colombia. Tourism Management, [S. l.], v. 35, p. 41–58, 2012.

SANTANA NETO, S. P.; SILVA, I. R.; BITTENCOURT, A. C. S. P. Distribuição do Lixo Marinho sua Interação com a Dinâmica De Ondas e Deriva Litorânea no Litoral Norte do Estado da Bahia, Brasil. Geociências, [S. l.], v. 35, n. 2, p. 231–246, 2016.

SCHUYLER, Q.; HARDESTY, B. D.; WILCOX, C.; TOWNSEND, K. To eat or not to eat? Debris selectivity by marine turtles. Plos. one, [S. l.], p. 740–884, 2012.

SERAFINI, T. Z. Limites e possibilidades para a construção da gestão compartilhada da pesca marinha-estuarina: Estudo de caso do sistema socioecológico pesqueiro da Baía da Babitonga-SC. 2012. [S. l.], 2012.

STELMACK, E. O.; VIEIRA, C. V.; CREMER, M. J.; KROLL, C. Lixo marinho em ambientes costeiros: o caso da praia grande na ilha de São Francisco do Sul/SC, Brasil. Geosul, [S. l.], v. 33, n. 66, p. 11–28, 2018.

TOURINHO, P. S.; DO SUL, I. J. A.; ANDFILLMANN, G. Is marine debris ingestion still a problem for the coastal marine biota of southern Brazil? Marine Pollution Bulletin, [S. l.], v. 60, p. 396–401, 2010.

VIEIRA, C. V.; HORN FILHO, N. O. Paisagem Marinha da Baía da Babitonga, nordeste de Santa Catarina. Revista Brasileira de Geografia Física, [S. l.], v. 10, p. 1677–1689, 2017.

WALUDA, C. M.; STANILAND, I. J. Entanglement of Antarctic fur seals at bird Island, South Georgia. Marine Pollution Bulletin, [S. l.], v. 74, p. 244–252, 2013.

WILCOX, C.; VAN SEBILLE, E.; HARDESTY, B. D. Threat of plastic pollution to seabirds is global, pervasive, and increasing. Proc. Nat. Acad. Sci. U.S.A, [S. l.], n. 112, 2015.

WWF. WORLD WIDE FUND FOR NATURE. Solucionar a poluição plástica: transparência e responsabilização. Gland, Suíça.

Downloads

Publicado

2022-04-29

Como Citar

Pfuetzenreuter, A., & Vieira, C. V. (2022). Avaliação do lixo marinho nas praias do norte da ilha de São Francisco do Sul, SC. Revista Geama, 8(1), 4–13. Recuperado de http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/geama/article/view/4204

Edição

Seção

ARTIGOS