UM CONSTRUCTO SILENCIOSO: A TRANSFIGURAÇÃO DA NARRATIVA EM LA JETÉE

Autores

Palavras-chave:

Literatura e cinema, La Jetée, Tempo, Espaço, Silêncio.

Resumo

Esse estudo visa examinar, de forma sucinta, as transfigurações narrativas de espaço, tempo, voz e silêncio no curta-metragem La Jetée (1962), de Chris Marker. Por considerar que a literatura é constituída por silêncio, propomos, neste trabalho, uma reflexão sobre sua relação com o curta-metragem foto-montado. Para tanto, dispomos análise da relação entre cinema e literatura, e elaboramos, em tópicos, um estudo sobre a obra-objeto. O referencial teórico dessa pesquisa se baseia, de forma geral, nos estudos de Bahiana (2012), acerca da estruturação filmográfica. Concernente ao tempo, nossas ideias são embasadas em Meyerhoff (1976). Em relação às demais categorias narrativas, fundamentamos nosso pensamento nos conceitos de Moisés (1977), Genette (1972), Orlando (1997), Nasio (2010) e Quadrado (2018). Com base nesses autores, revisamos a construção linguística de La Jetée e ao fim, esperamos fomentar e contribuir com a discussão a respeito da transfiguração narrativa na arte fílmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Cristina da Silva, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Mestrando na área de Estudos Literários, linha de Literatura e Historicidade, no Programa de Pós-Graduação em Letras (PLE), pela Unuversidade Estadual de Maringá - UEM.

Referências

BAHIANA, A. M. Como ver um filme. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

BAKHTIN, M. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. 2.ed. São Paulo: Hucitec; UNESP, 1990.

BELLOUR, R. Entre–imagens: foto, cinema, vídeo. Tradução de Luciana A. Penna. Campinas: Papirus, 1997.

CANUDO, R. La naissance d’un sixième art: essai sur le cinematografe. In: ______. Les entretiens idéalistes. 1911.

EDGAR-HUNT, R.; MARLAND, J.; RAWLE, S. A linguagem do cinema. Tradução de Francine Facchin Esteves. 1a ed., Porto Alegre: Bookman, 2013. 192 p.

GENETTE, G. Discurso da narrativa. Tradução de Fernando Cabral Martins. Lisboa: Ed. Vega, 1972.

HELLER, E. A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção e a razão. Tradução de Maria Lúcia Lopes da Silva. 1a ed. São Paulo: Editorial Gustavo Gili, 2012.

LA JETÉE. Direção: Chris Marker. Produção de Anatole Dauman. França: Argos Films, 1962. Versão digital – Vimeo (28 min.), p & b.

MAVOR, C. Black and blue: The bruising passion of camera lucida. La Jetée, Sans soleil, and Hiroshima mon amour. Carolina do Norte: Duke University Press Books, 2012. 234 p.

MEYERHOFF, H. O tempo na literatura. Tradução de Myriam Campello. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1976.

MOISÉS, M. A criação poética. São Paulo: Melhoramentos, 1977.

NASIO, J-D. O silêncio na psicanálise. 1a ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2010. 264 p.

ORLANDI, E. P. As formas do silêncio no movimento dos sentidos. Campinas: Unicamp, 1997.

QUADRADO, L. I. The poetics of noise. 2018. 153 f. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

SELIGMANN-SILVA, M. Literatura e trauma. Pro-posições, v. 13, n. 3, p. 135-153, 2002.

WITTGENSTEIN, L. Investigações filosóficas. Tradução de José Carlos Bruni. In: ______. Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural e Industrial. 1979.

Downloads

Publicado

2022-02-01

Como Citar

Silva, A. C. da. (2022). UM CONSTRUCTO SILENCIOSO: A TRANSFIGURAÇÃO DA NARRATIVA EM LA JETÉE. Entheoria: Cadernos De Letras E Humanas ISSN 2446-6115, 8(2), 63–79. Recuperado de http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/entheoria/article/view/3880