Historiando uma tradição discursiva

a construção da autoria institucional em editoriais de jornais cearenses

Autores

  • Aurea Zavam Universidade de Fortaleza, Unifor

Palavras-chave:

Análise diacrônica, Autoria institucional, Editorial de jornal

Resumo

Partindo do conceito de tradição discursiva, gestado no seio da Linguística Românica alemã, este trabalho se propõe a identificar vestígios de mudança e traços de permanência em um aspecto peculiar no editorial de jornal: a autoria. Para tanto, recorre à concepção de autoria institucional, proposta por Alves Filho (2006), para a modalidade de autoria presente no editorial. O corpus é composto de editoriais de jornais cearenses, publicados nos séculos XIX e XX e ainda de alguns exemplares do século XXI, tanto na versão impressa quanto na versão eletrônica. O objetivo maior é apontar e descrever as regularidades encontradas e, então, compará-las com as identificadas em editoriais dos dias atuais. Nesse sentido, procede-se à análise de marcas que revelam o mascaramento do autor, característica da modalidade de autoria investigada. Os resultados, possibilitados pelo estudo diacrônico, revelam a adaptabilidade de uma tradição discursiva a demandas que surgiram em função de novas configurações histórico-sociais e ajudam a lançar um novo olhar para a construção da autoria no editorial de jornal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aurea Zavam, Universidade de Fortaleza, Unifor

Professora da Universidade de Fortaleza (Unifor), pesquisadora do Grupo Tradições Discursivas do Ceará (Tradice–UFC) e membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Linguagem (NIEL).

Referências

ALMEIDA, Nukácia M. Araújo de______; ZAVAM, Aurea. Variação lingüística: uma questão de sala de aula. In: ______ (Org.). A língua na sala de aula: questões práticas para um ensino produtivo. Fortaleza: Perfil Cidadão, 2004. p.237-267.

ALVES FILHO, Francisco. A autoria institucional nos editoriais de jornais. Alfa, São Paulo, 50(1), p.77-89, 2006.

ASCHENBERG, Heidi. Historische Textsortenlinguistik. Beobachtungen und Gedanken. In: DRESCHER, Martina. Textsorten in romanischen Sprachvergleich. Tubingen: Stauffenburg Verlag. S. 2002. p.153-170.

______. Diskurstraditionen – Orientierungen und Fragestellungen. In: ______ & WILHELM, Raymund (Hrsg.). Romanische Spraschgeschichte und Diskurstraditionen. Tübingen: Narr. S. 2003. p.1-18.

BAGNO, Marcos. Língua-padrão ou padrão-língua? In: ______. Dramática da língua portuguesa: tradição gramatical, mídia & exclusão social. São Paulo: Loyola, 2000. p. 117-173.

BELTRÃO, Luiz. Jornalismo opinativo. Porto Alegre: Sulina, 1980.

COSERIU, Eugenio. Lições de lingüística geral (edição revista e corrigida pelo autor). Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1980.

DEBRAY, Regis. Manifestos midiológicos. São Paulo: Vozes, 1995.

FONSECA, Ma. Cristina de A. P. Caracterização lingüística de cartas oficiais da Paraíba dos séculos XVIII e XIX. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Artes e Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor. Lisboa: Vega, 1992.

GOMES, Valéria S. Traços de mudança e de permanência em editoriais de jornais pernambucanos: da forma ao sentido. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Artes e Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.

KABATEK, Johannes. Tradiciones discursivas y cambio lingüístico. Texto inédito apresentado no Seminário Nuevos enfoques en la lingüística histórica. Soria, Espanha, 7-11 jul. 2003. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2009.

LÓPEZ SERENA, Araceli. Teoría lingüística y lingüística histórica en sincronía y diacronía: aportaciones mutuas, en Actas del V Congreso Andaluz de Lingüística General. Homenaje al profesor José Andrés de Molina Redondo (Granada, 17-19 de noviembre de 2004), II , Granada: Granada Lingüística-Ediciones Método, 2006. p. 1037-1052.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. Tradução Cecília P. de Souza-e-Silva e Décio Rocha. São Paulo: Cortez, 2001.

NASCIMENTO, Karina R. de S. A macroestrutura argumentativa de editoriais do Jornal do Brasil. Dissertação (Mestrado em Letras), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

PESSOA, Marlos B. Da carta a outros gêneros textuais. In: DUARTE, M. E. L.: CALLOU, D. (Org.). Para a história do português brasileiro: notícias de corpora e outros estudos, vol. IV. Rio de Janeiro: Faculdade de LETRAS da UFRJ/FAPERJ, 2002. p. 197-205.

NOBRE, Geraldo da S. Introdução à história do jornalismo cearense. Fortaleza: Gráfica Editorial Cearense, 1974 (edição fac-similar).

REBELO, Neiva M. S. Análise do processo persuasivo no gênero editorial. Dissertação (Mestrado em Letras), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1999.

SIMÕES, José da Silva. Sintaticização, discursivização e semanticização das orações de gerundio no portugués brasileiro. Tese (Doutorado em Letras) – Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SOUSA, Socorro Cláudia T. Estudo da organização textual argumentativa em editorias de jornais. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2004.

Downloads

Publicado

2021-05-06

Edição

Seção

Artigos