A narrativa no discurso da tradição das organizações e grupos em Alasdair MacIntyre

Autores

  • Daniel Felipe Victor Martins Universidade Federal de Pernambuco, UFPE
  • Washington Luiz Martins da Silva Universidade Federal de Pernambuco, UFPE

Palavras-chave:

Narrativa, Linguagem, Tradição, Cultura brasileira

Resumo

Esta pesquisa busca promover uma análise do instrumento narrativo na ética de Alasdair MacIntyre pautada em sua aplicabilidade no mundo contemporâneo. Partimos da interpretação da tradição como o princípio da educação moral; da narrativa como meio dessa construção; e da comunidade levada como fim. Em nosso enfoque, elas representam o tripé de sustentação da sociedade para uma ação restauradora da virtude. Mostramos como a categoria da narrativa se coloca como eixo de equilíbrio entre a ação, a identidade e os bens internos comunitários. Mesmo que a proposta de MacIntyre não esgote por completo a crise ética da sociedade de nosso tempo, ela é um eficiente instrumento de compreensão do estudo da linguagem para um novo olhar do historicismo como ocupante de um lugar privilegiado na perspectiva do progresso do homem vindouro. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Felipe Victor Martins, Universidade Federal de Pernambuco, UFPE

Mestre em Filosofia pela UFPE. Professor das Faculdades Maurício de Nassau, das Faculdades da Escada e do Colégio Equipe. É membro pesquisador do Grupo de Pesquisa A POLISSEMIA DA AÇÃO HUMANA – Departamento de Filosofia/UFPE/CNPq.

Washington Luiz Martins da Silva, Universidade Federal de Pernambuco, UFPE

Doutor em Filosofia pela Universidad de Barcelona. Professor do Departamento de Filosofia da UFPE e líder do Grupo de Pesquisa A POLISSEMIA DA AÇÃO HUMANA, UFPE/CNPq.

Referências

ANNAS, J. MacIntyre on Traditions; Philosophy and Public Affairs, 18 (1989), pp. 388-404.

HERRNSTEIN SMITH, B. In: Contigencies of Value. Alternative Perspective of Critical Theory, Cambridge Mass: Haverd University Press, 1988.

BIELSA, A. Crítica a MacIntyre: una lectura kantiana. In: Tradição e Liberdade, Barcelona: Edit Euro, 1997.

BRADLEY, M.C., A Note on Mr. MacIntyre’s – Determinism – ; Mind, 68 (1959), pp. 521-526.

ELVIRA, J. C. Práctica de la Virtud e Ideal Ilustrado. In: Tradição e Liberdade, Barcelona: Edit Euro, 1997.

FRANKENA, W.K. MacIntyre on Defining Morality; Philosophy, 33 (1958), pp. 158-161.

MAS, S. El tema de la virtud: A. MacIntyre lector de Aristóteles. In: Revista de Filosofia, 8 (1996) 15, pp.159-182.

KELLY, M. MacIntyre, Habermas, and Philsophical Ethics; Lyceum, 4 (1992) 1, pp. 104-119.

MAURI, M. et all. Crisis de Valores: Modernidad e Tradición. Barcelona: Edit Euro, 1997.

MAURI, M. Tradición y Autoridad. In: Tradição e Liberdade. Barcelona: Edit Euro, 1997.

McMILOR, P. Alasdair MacIntyre: Critic of Modernity. London: Routledge, 1994.

MEEKS, W. Los orígenes de la moralidad Cristiana. Barcelona: Ariel, 1994.

PLATTS, M., Tiene algún porvenir la filosofia moral. In: Revista Latinoamericana de Filosofia, 14 (1988), PP. 27-34.

ROMÁN, B. La propuesta comunitarista de A. MacIntyre. In: Tradição e Liberdade, Barcelona: Edit Euro, 1997.

SWINDLER, J.K. MacIntyre’s Republic. The Thomist, 54 (1990), pp. 343-354.

Downloads

Publicado

2021-05-06

Edição

Seção

Artigos