A INTELIGÊNCIA MUSICAL NA ESCOLA COMO INSTRUMENTO MEDIADOR NA APRENDIZAGEM DE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL

Andréia Ferro Marques, Viviane Nunes Sarmento

Resumo


Para este estudo, elencamos os seguintes objetivos: Estimular a Inteligência Musical, através de intervenções com atividades lúdicas. Planejar atividades com base na teoria das Inteligências Múltiplas, focando a inteligência musical e, por fim, executá-las e avaliá-las O presente estudo foi desenvolvido em uma escola da rede municipal de ensino de Garanhuns em uma turma do 3° ano do ensino fundamental. A turma era composta por cerca de 29 alunos, com faixa etária de 8 a 9 anos. Acreditamos que este estudo pôde contribuir para com informações referentes à área educacional, bem como, fomentar novas discussões sobre as temáticas que envolvem a utilização da teoria das múltiplas inteligências, mais especificamente, à inteligência musical. Além disso, acreditamos que logramos êxito na proposta ao proporcionar novas ideias e estimular a prática do planejamento didáticometodológico, discutir e promover ações/práticas na escola e com a turma em questão.

Palavras-chave


Inteligências Múltiplas; Atividades Lúdicas; Estratégias Pedagógicas

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli Eliza D. A. de. Etnografia da prática escolar. São Paulo: Papirus, 1995.

ANTUNES, Celso. Como identificar em você e em seus alunos as inteligências múltiplas. 8 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

ANTUNES, Celso. Inteligências múltiplas e seus jogos: inteligência sonora, vol. 8. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

ANTUNES, Celso. Jogos para a estimulação das múltiplas inteligências. 18 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BARRETO, Sidirley de Jesus e CHIARELLI, Lígia Karina Meneghetti. A importância da musicalização na Educação Infantil e no Ensino Fundamental: a música como meio de desenvolver a inteligência e a integração do ser. Disponível em:educao_infantil_e_no_ensino_fundamental.pdf>. Acesso em: 15 maio 2014.

BELÉM, Diana. Carl Rogers: do diagnóstico ao ensino centrado na pessoa. Recife: Bagaço, 2000.

DHOME, Vânia. Atividade lúdica na educação: o caminho de tijolos amarelos do aprendizado. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

GARDNER, Howard. Estruturas da Mente. Nova Iorque: Basic Books, 1983.

GARDNER, Howard. Inteligências Múltiplas: a teoria na prática. São Paulo: Artmed, 1995.

GARDNER, Howard. Inteligências múltiplas ao redor do mundo. Porto Alegre: Artmed, 2010.

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro, 2008.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, SP: EPU, 1986.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva M. Fundamentos da metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

OLIVEIRA, Maria Marly. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis: Vozes, 2007.

SANTOS. Rosângela Pires dos. Inteligências múltiplas e aprendizagem. São Paulo: Coursepark, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Andréia Ferro Marques, Viviane Nunes Sarmento

Licença Creative Commons