PERSPECTIVAS HISTÓRICAS E ATUAIS SOBRE O GÊNERO FEMININO E A DIVISÃO SEXUAL DO TRABALHO NA EDUCAÇÃO INFANTIL.

Autores

  • Jessica Nayane Marques Matias Universidade Federal do Agreste de Pernambuco

Palavras-chave:

Mulher, educação infantil, construções históricas sociais.

Resumo

A docência na educação infantil é uma área predominantemente ocupada por mulheres. No entanto, é necessário entender como e por que tal fato se consolida. Para tanto, o objetivo deste artigo é analisar e discutir como a formação histórica e social da infância e da mulher refletem na atuação docente na educação infantil através de uma revisão de literatura. Diante disso, os resultados finais mostraram-se coerentes diante dos fatos apresentados, explicativos e reflexivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANNE with an e (Temporada 3, ep. 7). Direção: Niki Caro et al. Produção: PENCIER. M; MURDOCH.S. Produtora: CBC e Netflix (2017-2020).

ARCE, A. Documentação oficial e o mito da educadora nata na educação infantil. Cadernos de pesquisa, n. 113, p. 167- 184, julho, 2001.

ARCE.A. Lina, uma criança exemplar! Friedrich Froebel e a pedagogia dos jardins-de-infância. Revista brasileira de educação. Maio-Ago. nº20, 2002.

ARIES, P. História Social da Criança e da Família. LTC- Livros Técnicos e Científicos Editora S.A Rio de Janeiro,1981.

BASTOS, F.S.PEDAGOGIA, A PROFISSÃO DA MULHER? 2018. 30 f. Trabalho de conclusão de curso. (Licenciado em Pedagogia) – Faculdade Regional da Bahia - UNIRB/FARB, Feira de Santana, 2018.

BEAUVOIR, S. O segundo Sexo: Fatos e Mitos. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1980

BEAUVOIR, S. Moral da Ambigüidade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

DUARTE, N. A crítica de Marx à naturalização do histórico. In: Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações pós modernas e neoliberais da teoria vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2000. p. 128-157.

LUGARINI, V. Professoras são maioria no ensino básico, mas minoria na universidade. Disponível em: https://vermelho.org.br/2018/03/08/professoras-sao-maioria-no-ensino-basico-mas-minoria-na-universidade/. Acesso em 21 de Maio de 2020.

MONTEIRO, M.K; ALTMANN, H. HOMENS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: OLHARES DE SUSPEITA E TENTATIVAS DE SEGREGAÇÃO. Cadernos de pesquisa. v.44 n.153 p.720-741 jul./set. 2014.

SEUS, B. S. Simone de Beauvoir e a libertação da mulher: do existencialismo sartriano à moral da ambiguidade. Porto Alegre, RS: Editora Fi,2019.

VIANA, N. Naturalização e desnaturalização: o dilema da negação prático crítica. Revista Espaço Livre. Vol. 8, num. 15, jan. jun./2013.

Downloads

Publicado

2022-06-10

Como Citar

Marques Matias, J. N. (2022). PERSPECTIVAS HISTÓRICAS E ATUAIS SOBRE O GÊNERO FEMININO E A DIVISÃO SEXUAL DO TRABALHO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Educação E (Trans)formação, 7(1), 1–11. Recuperado de http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/educacaoetransformacao/article/view/4866

Edição

Seção

Artigos