MÚSICA AFRO-BRASILEIRA: IDENTIDADE E CULTURA PARA A ESCOLA DA COMUNIDADE QUILOMBOLA DO CASTAINHO-PE

Mikaelly Sobral dos Santos, Fernando Antonio Ferreira de Souza

Resumo


No agreste de Pernambuco verifica-se ações de construção da identidade nacional a partir de experiências culturais de tradição oral. A escola emerge neste contexto como palco de reavivamento e continuidade de valores identitários locais supostamente ameaçados por tendências de fluidez identitária decorrentes da globalização. A música, enquanto recurso didático e interativo social, emergiu nestes espaços locais da comunidade quilombola Castainho com o intuito de auxiliar uma ação de continuidade da tradição da própria comunidade no cotidiano expressivo dos mais jovens. Como fruto da observação etnográfica realizada no terreno emergiram dados e testemunhos locais acerca de intervenções diversas na escola Virgília Garcia Bessa, revelando que a escola cumpre para esta comunidade uma função integradora entre o passado e o presente. Este trabalho busca mostrar a importância de valorizar a cultura afrodescendente e que esta pode ser efetuada através da música, que é um elemento importante na construção da identidade cultural, nesse caso direcionada à cultura quilombola dos discentes da escola do Castainho que tem sido perdida com o decorrer dos anos e a interferência de culturas externas. 


Palavras-chave


Música; Cultura; Afro-brasileiro; comunidade quilombola; Identidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M A A. Cultura política, identidade representações sociais. Recife: Editora Massangana, 1999. 389 p.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica. Resolução Nº 8, de 20 de Novembro de 2012. Lex: Resolução CNE/CEB 8/2012. Diário Oficial da União, Brasília, 21 de Novembro de 2012, Seção 1, p.26.

FIALHO, V, M; ARALDI, J. Maurice Martenot Educando com e para a música. In: MATEIRO,T.; ILARI,B. (Org). Pedagogias em educação musical. Curitiba: Ibedex, 2011. p. 159-184

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17ª. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. 254 p.

GUERREIRO, G. A Trama dos Tambores: a música afro-pop de Salvador. S5o Paulo, Editora 34, 2000. 320p

ILARI, B. Shinichi Suzuki A educação do talento. In: MATEIRO,T.; ILARI,B. (Org). Pedagogias em educação musical. Curitiba: Ibedex, 2011. p. 186-218

LUNDBERG, D. Música como marcador de identidade: individual vs. coletiva, in Côrte-Real, Maria de São José (ed.), Música e Migração, Migrações 7: 27-41. 2010.

MOTA, Fabio Reis, “O Estado contra o Estado: Direitos, Poder e Conflitos no processo de produção da identidade ‘quilombola” da Marambaia”, in R. Kant de Lima (dir), Antropologia e direitos humanos 3, Editora da Universidade Federal Fluminense, 2005, p. 133-184.

MONTEIRO, I. Circulação de instrumentos musicais no espaço português quinhentista. Revista Portuguesa de História – t. XLVI (2015) – p. 99-123

MORAIS, D. Notas sobre a Música e Instrumentos Musicais Populares Portugueses. 1995

Música nas escolas – Lei nº 11.769. Acesso em: 24 de Jun. 2018. Disponível em: http://abemeducacaomusical.com.br/artsg2.asp?id=20

SANDRONI, C. Feitiço decente: transformações do samba no Rio de Janeiro, 1917/1933 /Carlos Sandroni. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.:UFRJ. 2001.

SILVA, I. O Movimento Negro no Período de Ditadura Militar e a música no Brasil. Os Desafios da Escola Pública Paranaense na Perspectiva do Professor PDE. Volume I, Ivaiporã, 2013-2014.

SODRÉ, M. Samba, o dono do corpo. Rio de Janeiro: Codecri. 1998.

SOUZA, F A F. O Xangô de 1938 no Recife de hoje: continuidade e mudanças músicais no contexto ritual. Monografia de Especialização lato senso em Etnomúsicologia, sob orientação do Prf. Dr. Carlos Sandroni. Recife: Núcleo de Etnomúsicologia/Departamento de Música UFPE-Brasil.2004

TAVARES, S. Identidade musical. Disponível em: < http://identidadenegra.zip.net/arch2004-11-07_2004-11-13.html> Acesso em: 23 Set. 2018.

VIANA, M B e TRINDADE, B G P. A Presença de Músicas Africana e Afrodescendente no Ensino Fundamental: Construção de uma Identidade Afro-Brasileira. XII Encontro Regional Nordeste da ABEM. Educação musical: formação humana, ética e produção de conhecimento São Luis, 29 a 31 de outubro de 2014.

VYGOTSKI, LS. (1896-1934). Pensamiento y lenguaje. Cap.6. Obras Escogidas – vol. 2. Madri: Visor. 1993

WA MUKUNA, K. Contribuição Bantu na música popular brasileira. São Paulo: Editora Parma Leda. 1970.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Mikaelly Sobral dos Santos, FERNANDO ANTONIO FERREIRA DE SOUZA

Licença Creative Commons