NOTAS SOBRE RACISMO E EUGENIA EM ALGUMAS OBRAS DO MÉDICO HIGIENISTA OCTÁVIO DE FREITAS (1871-1949)

Autores

  • Hélio Fernandes de Melo UFRPE
  • Argus Vasconcelos de Almeida UFRPE

Palavras-chave:

Racismo no Brasil, Higienismo, Eugenismo

Resumo

O objetivo do trabalho foi analisar o caráter racista-eugênico presente na obra do médico higienista Octávio de Freitas. A metodologia adotada foi uma revisão da literatura e a leitura de dois livros escritos por Freitas. No livro “Doenças Africanas no Brasil” há uma ambivalência que ora se manifesta entre raça e ambiente, ora entre raça e causas sociais. O racismo e o eugenismo estão presentes em sua obra de Freitas, embora ele seja considerado um ícone na medicina em Pernambuco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, Jean Luiz Neves. Das enfermidades e dos saberes sobre o corpo dos africanos no Brasil: historiografia, pra?ticas e apropriac?o?es. In: Histo?ria e Perspectivas, n.32/33, p.179-194, 2005.

BOLSANELLO, Maria Augusta. Darwinismo social, eugenia e racismo “científico”: sua repercussão na sociedade e na educação brasileiras. In: Educar. n. 12, p. 153-165, 1996.

CASTAN?EDA, Luzia Aurélia. Eugenia e casamento. In: Histo?ria, Cie?ncias, Sau?de Manguinhos, v. 10, n. 3, p. 901-30, 2003.

FREITAS, Octávio. Relatório dos Serviços Efectuados Durante a Epidemia da “Influenza”; Apresentado em 25 de novembro de 1918 ao Exmo. Sr. Dr. Secretário do Estado pelo Diretor de Hygiene Dr. Octavio de Freitas. Recife: Typ. da Imprensa Official, 1918.

FREITAS, Octávio. Doenças Africanas no Brasil, Rio de Janeiro: Companhia Editora Nacional, 1935.

FREITAS, Octa?vio. Medicina e costumes do Recife Antigo. Recife: Imprensa Industrial, 1943.

FUTUYMA, Douglas. Biologia Evolutiva. Ribeirão Preto, FUNPEC-PR, 2002.

GOUVEIA, Bruno Márcio. Escritos e pra?ticas na trajeto?ria do me?dico Octa?vio de Freitas no Recife. Dissertac?a?o apresentada ao Programa de Po?s-Graduac?a?o em Histo?ria da Universidade Federal de Pernambuco, como requisito parcial para a obtenc?a?o do ti?tulo de Mestre em Histo?ria. Recife 2017.

GOUVEIA, Bruno Marcio. Octávio de Freitas e as crônicas médicas em Pernambuco. In: Temporalidades – Revista de História. Edição 33, v 12, n 2, p. 208-223 2020.

MUKERJEE, Siddhartha. O gene. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. 666p.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem conceitual das noc?o?es de raca, racismo, identidade e etnia. In: BRANDA?O, A. A. P. (org.) Cadernos Penesb (5). Nitero?i: Ed. UFF. p. 15-34, 2004.

PENA, Sérgio D. J.: Razo?es para banir o conceito de rac?a da medicina brasileira. In: Histo?ria, Cie?ncias, Sau?de – Manguinhos,v. 12, n. 1, pp. 321-46, 2005.

SANTANA, Nara M. C.; SANTOS, Ricardo Augusto. Projetos de modernidade: autoritarismo, eugenia e racismo no Brasil do século XX. In: Revista de Estudios Sociales. v. 58, p. 28-38, 2016.

SANTOS, Ricardo Augusto dos. “Lobato, Os Jecas e a Questão Racial no Pensamento Social Brasileiro.” Achegas.net 1 (7), May 2003. Electronic document,

http://www.achegas.net/numero/sete/ricardo_santos.htm.

SOUZA, Breno Sabino Leite de; CARVALHO, Leonardo Dallacqua de. Sua ambivalência entre o racismo e as causas sociais bons ares, maus colonos: ambivalência entre raça e ambiente em Doenças Africanas no Brasil de Octavio de Freitas. In: Hist. R. v. 20, n. 3, p. 80–97, 2015.

STANCIK, Marco Antonio. Os jecas do literato e do cientista: movimento euge?nico, higienismo e racismo na primeira repu?blica. Publ. UEPG Humanit. Sci., Appl. Soc. Sci., Linguist., Lett. Arts, v. 13, n. 1, p. 45-62, 2005

VAINSENCHER, Semira Adler. Octávio de Freitas. Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar>. Acesso em: 29/06/2020.

Downloads

Publicado

2022-02-07

Como Citar

Fernandes de Melo, H., & Vasconcelos de Almeida, A. . (2022). NOTAS SOBRE RACISMO E EUGENIA EM ALGUMAS OBRAS DO MÉDICO HIGIENISTA OCTÁVIO DE FREITAS (1871-1949). Revista Cadernos De Ciências Sociais Da UFRPE, 1(18). Recuperado de http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/cadernosdecienciassociais/article/view/4335