Da Sociologia Rural às Ciências Sociais: um percurso para o tempo presente e o conhecimento plural

Autores

  • Giuseppa Maria Daniel Spenillo Universidade Federal Rural de Pernambuco

Palavras-chave:

Ciências Sociais, tempo presente, transições, conhecimento plural

Resumo

Este artigo, escrito na efusão dos 30 anos do Bacharelado em Ciências Sociais na UFRPE, busca oferecer uma leitura desde as suas origens, na qual investigamos, por um lado, as questões mais aparentes e com as quais a Sociologia se ocupou, e, por outro lado, as posições científicas assumidas pela Sociologia para responder a tais questões. A investigação destaca o percurso para um re-colocar da Sociologia, no tempo presente e em diálogo com outras formas de conhecimento. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, Cláudio. Francisco Julião: uma biografia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho. 8° edição. São Paulo: Cortez, 2002.

BASTOS, Elide Rugai. As Ligas Camponesas. Petrópolis: Vozes, 1984.

BAUDRILLARD, Jean. À sombra das maiorias silenciosas: O fim do social e o surgimento das massas. São Paulo: Brasiliense, 2011.

BORDENAVE, Juan E. D.. O que é comunicação rural? 3ª edição. São Paulo: Brasiliense, 1988.

CANDIDO, Antonio. Os Parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. 8°edição. São Paulo: Ed. 34, 1997.

COORDENAÇÃO do Curso de Bacharelado em Ciências Sociais/UFRPE. Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em Ciências Sociais. Documento interno, setembro 2012.

DRUCKER, Peter. Sociedade pós-capitalista. São Paulo: Pioneira, 1999.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

ELIAS, Norbert. Os alemães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FUKUYAMA, Francis. O fim da História e o último homem. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

GRAZIANO NETO, Francisco. Questão agrária e ecologia: critica da moderna agricultura. 2. edição. São Paulo: Brasiliense, 1985.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública. 1ª edição. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

HARVEY, David. The right to the city. New Left Review 53, set. out. 2008, 23-40. Disponível em https://newleftreview.org/issues/II53/articles/david-harvey-the-right-to-the-city, 2008. Acesso em: 29 junho 2020.

LEI Nº 7.007, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1975. Disponível em http://legis.alepe.pe.gov.br/texto.aspx?id=33313.

LEONELLI, Domingos, OLIVEIRA, Dante de. Diretas Já: 15 meses que abalaram a ditadura. São Paulo: Record, 2004.

LUXEMBURGO, Rosa. A acumulação do capital. Vol. 1 e 2. Coleção Os Economistas. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

MACHADO, Otávio Luiz. Educação e Constituinte de 1988: a participação popular nos quadros da democracia da Nova República e a reflexão de Florestan Fernandes. Frutal: Prospectiva, 2013.

MARSHALL, T.H.. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Nossa História. Disponível em: https://mst.org.br/nossa-historia/84-86/. Acesso em: 25 junho 2020.

MARTINS, José de Souza (org). Introdução crítica à Sociologia Rural. São Paulo: Editora Hucitec, 1986.

MATTELART, Armand. Networking the World, 1794-2000. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2000.

ORGANIZAÇÃO das Nações Unidas. ONU prevê que cidades abriguem 70% da população mundial até 2050. ONU News, Fevereiro 2019. Disponível em https://news.un.org/pt/story/2019/02/1660701. Acesso em: 29 junho 2020.

PASTORAL da Criança. Disponível em www.pastoraldacrianca.org.br/pt/. Acesso em: 23 junho 2020.

PRIGOGINE, Ilya. O fim das certezas: Tempo, caos e as leis da natureza. São Paulo: UNESP, 1996.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. O campesinato brasileiro: ensaios sobre a civilização e grupos rústicos no Brasil. 2ª edição. Petrópolis: Vozes, 1976.

RIBEIRO, Darcy. Entrevista. Programa Abertura, TV Tupi. Disponível em http://bit.ly/AberturaDarcyRibeiro, 1979. Acesso em: 30 junho 2020.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as Ciências. 15ª edição. Porto: Afrontamento, 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Fórum Social Mundial: manual de uso. Porto: Afrontamento, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. Vol. 1. 2ª edição. Porto: Afrontamento, 2002.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Introdução a uma ciência pós-moderna. 3ª edição. Porto: Afrontamento, 1993.

SCHAFF, Adam. A sociedade informática. São Paulo: Brasiliense, 1995.

VEIGA, José Eli da. Destinos da Ruralidade no Processo de Globalização, in Estudos Avançados nº 51, maio/agosto/2004.

WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. A emergência de uma nova ruralidade nas sociedades modernas avançadas – o “rural” como espaço singular e ator coletivo. Estudos Sociedade e Agricultura, 15, outubro 2000: 87-145.

WANDERLEY, Múcio de Barros, LOPES Geraldo Majella Bezerra. As relações institucionais entre pesquisa e desenvolvimento e assistência técnica e extensão rural no IPA. Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, vols. 8 e 9, p.37-41, 2011/2012.

Downloads

Publicado

2021-04-13