http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/apca/issue/feed Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica 2021-08-02T16:30:11+00:00 Bárbara Martins Lopes anaisapca@gmail.com Open Journal Systems <div> <p>A Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, desde 2004, vem editando os <strong>Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica</strong> (AAPCA), com periodicidade anual até o ano de 2017. Em 2018, ano em que são comemorados os <strong>15 anos de publicação</strong> dos AAPCA, a periodicidade da Revista passa a ser semestral.</p> <p>Registrados sob o <strong>ISSN: 1980-0258</strong>, em atendimento à Lei nº 10.944, de 14 de dezembro de 2004 de Depósito Legal, os Anais da APCA encontram-se indexados na<strong> Base QUALIS DA CAPES (B5-10)</strong> e na <strong>Base Latindex</strong> – Sistema Regional de Información em Linea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal. Também estão registrados sob o <strong>INSS-Eletrônico 2448-2811</strong>.</p> </div> <div><strong><span style="color: #000000;">Prof. Mario de Andrade Lira Junior<br /></span></strong></div> <div><strong><span style="color: #000000;">Editor</span></strong></div> http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3746 PROFUNDIDADE DE ADUBAÇÃO E TAMANHO DA SEMENTE: REFLEXOS NA QUALIDADE FISIOLÓGICA DA SOJA 2020-07-30T18:14:49+00:00 Maicon Sgarbossa maicon_sgarbossa@hotmail.com Jean Carlo Possenti jpossenti@utfpr.edu.br Carlos André Bahry carlosbahry@utfpr.edu.br Lucas Dotto lucas.dotto3@gmail.com Alcir José Modolo alcirmodolo@utfpr.edu.br Cristiane Deuner cdeuner@yahoo.com.br <p>O trabalho teve por objetivo avaliar a influência do tamanho da semente e a profundidade de deposição de fertilizante na semeadura sobre a qualidade fisiológica das sementes produzidas. Na primeira etapa realizou-se a semeadura da soja para a produção de sementes e na segunda avaliou-se sua germinação e vigor. Para a produção das sementes foram testadas a profundidade de deposição do fertilizante (3 e 10 cm) e o tamanho da semente (peneira 5,5 e 6,5 mm), com cinco repetições por tratamento. Ao final do ciclo, as sementes produzidas foram colhidas e sua qualidade fisiológica avaliada através dos testes de germinação, primeira contagem de germinação, envelhecimento acelerado, comprimento de parte aérea e raiz, massa de matéria seca de parte aérea e raiz, para cada tratamento, com oito repetições. Sementes de soja produzidas a partir de sementes de tamanho 5,5 mm apresentam germinação e vigor, de acordo com o teste de primeira contagem de germinação e envelhecimento acelerado, superiores quando comparadas com as de 6,5 mm. A profundidade de adubação de 10 cm proporciona a produção de sementes com potencial germinativo e vigor, de acordo com a primeira contagem de germinação e o envelhecimento acelerado, maiores do que a adubação realizada a 3 cm.</p> 2021-08-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/4218 MICROBIOLIZAÇÃO DE SEMENTES DE ALFACE COM Bacillus spp. PARA CONTROLE DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS 2021-03-20T11:54:36+00:00 Natalia de Jesus Ferreira Costa natalia.jfc@gmail.com Mônica Shirley Brasil dos Santos e Silva shirleybrasil.85@hotmail.com Antonia Alice Costa Rodrigues aacrodrigues@outlook.com Erlen Keila Candido e Silva erlenkeila@yahoo.com.br Gilson Soares da Silva gilson_soares@uol.com.br <p>O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da microbiolização de sementes de alface (<em>Lactuca sativa </em>L.) cv. ‘Grandes Lagos Americana’ e ‘Americana Delícia’ com diferentes isolados de <em>Bacillus</em> para controle de fungos fitopatogênicos, assim como avaliar a qualidade sanitária e a taxa de transmissão dos patógenos associados a estas sementes. A análise sanitária das sementes foi realizada por meio do método do <em>Blotter Test</em>. Para quantificar a taxa de transmissão dos fitopatógenos, 400 sementes de cada cultivar foram semeadas em bandejas contendo substrato composto de solo:areia grossa:vermiculita (3:1:1), avaliando-se aos 7, 14 e 21 dias após a semeadura. Fragmentos de folha, caulículo e raiz foram transferidos para placa de Petri contendo meio de cultura BDA e incubados em câmara BOD. A avaliação da transmissão foi realizada sete dias após a incubação em relação a presença de patógenos, quantificando-se a porcentagem de transmissão. As sementes de alface foram microbiolizadas com diferentes isolados de <em>Bacillus: </em>B47 – <em>B. </em><em>amyloliquefaciens</em>; B41, B22 e B22’ – <em>B. </em><em>methylotrophicus;</em> e B7’ – <em>B. thuringiensis</em>. Após o tratamento, as sementes foram plaqueadas em meio BDA e incubadas. Os resultados mostraram que as sementes da cv. ‘Grandes Lagos Americana’ apresentaram a maior percentagem de contaminação por fungos nos testes de sanidade e transmissão. Os isolados B47 e o B22 foram os mais eficientes no controle dos fungos transmitidos pelas sementes de alface das cultivares avaliadas.</p> 2021-08-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 http://ead.codai.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/4237 O ACESSO À UNIVERSIDADE NO ESTADO DE PERNAMBUCO: 2021-04-22T11:58:49+00:00 Carlos Alberto Tavares carlostavares19@yahoo.com.br 2021-08-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021