A PSICOLOGIA DA ARTE DE VIGOTSKI E ALGUMAS NOTAS SOBRE O QUÍMICO (E O) ARTISTA

Rafael Cava Mori

Resumo


O diálogo entre ciência/química e arte é possível, dado que as práticas científicas e artística nada mais são do que modalidades específicas da práxis, isto é, a unidade teórico-prática. Assim, considerando que a condução desse diálogo deve ocorrer embasando-se em sólidos fundamentos teóricos, apresento neste ensaio alguns conceitos principais do livro “Psicologia da arte”, de Vigotski. Entendo que esse livro, apesar de pouco conhecido e lido por parte dos educadores em ciências no Brasil, apresenta conceitos profícuos para o estudo das reações estéticas proporcionadas pelas obras que envolvam química e arte. Após apresentar alguns conceitos principais desse texto vigotskiano, discuto brevemente, a partir desses conceitos, criações artísticas com veia química (compreendendo a poesia, a canção popular e a pintura) e criações químicas com veia artística (o desenho de moléculas e os padrões auto-organizados que emergem em fenômenos físico-químicos). Finalizo o texto defendendo que a aproximação entre ciência/química e arte precisa possuir, como finalidade pedagógica, a ampliação da experiência de mundo dos estudantes, respeitando as especificidades das práticas científica e artística.


Palavras-chave


psicologia histórico-cultural, reação estética, catarse

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Rafael Cava Mori