A Prática de Ensino na Organização Curricular dos Cursos de Química Licenciatura: Atenção para as 400h de Prática de Ensino

Joana Laura de Castro Martins, Judite Scherer Wenzel

Resumo


O presente artigo contempla uma discussão acerca da prática de ensino como componente curricular na formação inicial de professores de química com um olhar tanto para a sua organização como para indícios de concepção de prática que está sendo proposta. Apresenta-se um mapeamento da legislação que norteia a formação inicial de professores e que define a carga horária a ser destinada para a prática de ensino. Em seguida, discutem-se os resultados
construídos mediante uma análise documental tanto de revisão bibliográfica na revista Química Nova como da leitura de Projetos Pedagógicos de Cursos de Licenciatura em Química do estado do Rio Grande do Sul. Os resultados da revisão bibliográfica indiciaram que a prática de ensino é vista como uma dimensão essencial na articulação teoria e prática, e um dos desafios apontados consiste no efetivo comprometimento dos professores formadores ao realizarem as práticas de ensino. A análise dos Projetos Pedagógicos retrataram que os modos de organização são muito particulares a cada contexto formativo. Com isso acredita-se na necessidade da ampliação de pesquisas que acompanhem as propostas de prática de cada Curso.


Palavras-chave


Formação Inicial de Professores, Mediação Didática, Práticas de Ensino.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Joana Laura de Castro Martins, Judite Scherer Wenzel