Cobertura de líquens em um gradiente borda-interior na Amazônia Central

Wanessa Rejane de Almeida, Walkiria Rejane de Almeida, Jonas José Mendes Aguiar

Resumo


Nas florestas tropicais, o efeito de borda é considerado um dos fatores que afetam o equilíbrio do ecossistema. Como consequência desse distúrbio, inúmeros grupos de organismos têm suas populações afetadas. Os líquens são particularmente sensíveis às mudanças microclimáticas, pois retiram nutrientes diretamente da atmosfera e apresentam pequena capacidade de regulação de perda e ganho de água. Eles são classificados quanto às formas e o crescimento. O objetivo deste trabalho foi testar se líquens com diferentes características morfo-anatômicas apresentam tolerância distinta às condições de borda florestal. A hipótese testada é de que líquens com características morfo-anatômicas que minimizem a perda de água são menos susceptíveis ao efeito de borda. Nas árvores amostradas foram amostrados 389 pontos com líquens do tipo “A” (líquens crostosos com córtex liso e sem protalos) e 123 com líquens do tipo B (líquens hidrófilos, sem córtex definido, que retêm água nos protalos). Embora não tenha havido relação entre a distância de borda e a cobertura dos liquens do tipo “A”, a cobertura relativa dos líquens do tipo B diminuiu com o aumento da distância da borda. Houve relação negativa entre a distância da borda e a temperatura ao meio dia e foi encontrada uma relação entre a distância da borda e a umidade relativa do ar. Nos 10 primeiros metros de distância da borda os líquens do tipo B apresentaram uma maior cobertura relativa, já nas distâncias subsequentes houve uma inversão, onde os líquens do tipo A passaram a ter maior cobertura relativa.

Palavras-chave


efeito de borda, floresta tropical, microclima

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ANDRÉN, H. 1994. Effects of habitat fragmentation on birds and mammals in landscapes with different proportions of suitable habitat: a review. Oikos, v.71, p.355-366.

DIDHAM, R. K.; GHAZOUL, J.; STORK, N. E.; DAVIS, A. J. 1996. Insects in fragmented forests: a functional approach. Trends Ecol. Evol., v.11, p.255-260.

GAIO‐OLIVEIRA, G.; DAHLMAN, L.; MÁGUAS, C.; PALMQVIST, K. 2004. Growth in relation to microclimatic conditions and physiological characteristics of four Lobaria pulmonaria populations in two contrasting habitats. Ecography, v.27, p.13–28.

HONDA, N.K; VILEGAS, W. 1998. A química dos líquens. Química Nova, v.21: p.110-125.

LAKATOS, M.; RASCHER, U.; BÜDEL, B. 2006. Functional characteristics of corticolous lichens in the understory of a tropical lowland rain forest. New Phytologist, v.172, p.679-695.

LAURANCE, W. F.; BIERREGAARD, R. O.. 1997. Tropical forest remnants: ecology, management and conservation of fragmented communities. The University of Chicago Press, Chicago.

MURCIA, C. 1995. Edge effects in fragmented forests: implications for conservation. Trends Ecol. Evol., v.10, p.58-62.

NASH, T. H.; OLAFSEN, A. G. 1995. Climate change and the ecophysiological response of arctic lichens. Lichenologist, v.27, p.599-565.

OLIVEIRA, A. A. 1997. Diversidade, estrutura e dinâmica do componente arbóreo de uma floresta de terra firme de Manaus, Amazonas. Tese de Doutorado em Botânica, Universidade de São Paulo, São Paulo.

RADAMBRASIL. 1978. Folha SA 20 Manaus. Rio de Janeiro, Ministério das Minas e Energia, Departamento Nacional de Produção Mineral.

RECHER, H. F. 1999. The state of Australia’s avifauna: a personal opinion and prediction for the new millennium. Australian Zoologist, v.31, p.11-29.

RIBEIRO, J. E. L; HOPKINS, M. J. G.; VICENTINI, A.; SOTHERS, C.A.; COSTA, M. A. S.; BRITO, J. M.; SOUZA, M. A. D.; MARTINS, L. H. P.; LOHMANN, L. G.; ASSUNÇÃO, P. A. C. L.; PEREIRA, E. C.; SILVA, C. F.; MESQUITA. M. R.; PROCÓPIO, L. C. 1999. Flora da reserva Ducke: Guia de identificação das plantas vasculares de uma floresta de terra firme na Amazônia Central. INPA, DFID, Manaus.

STUART, S. N.; CHANSON J. S.; COX, N.A.; YOUNG, B. E.; RODRIGUES, A. S. L.; FISHMAN, D. L.; WALLER, R. W. 2004. Status and trends of amphibian declines and extinctions worlwide. Science, v.306, p.1783-1786.




DOI: https://doi.org/10.24221/jeap.2.1.2017.982.11-15

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Journal of Environmental Analysis and Progress

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.