O índice de aridez e sua tendência a desertificação na bacia do rio Ipojuca-PE

Cristiano José da Silva, Manoel Vieira de França, Raimundo Mainar de Medeiros, Romildo Morant de Holanda

Resumo


Tem-se como objetivo estudar as oscilações do índice de aridez interanual e sua vulnerabilidade à desertificação para a área da bacia do rio Ipojuca.  Utilizaram-se dos cálculos do balanço hídrico, índice de aridez, classificação climática e nível de susceptibilidade, gerando-se o gráfico do índice e variabilidade de clima da área estudada. Os climas registrados na área de estudo foram do tipo Árido, Semiárido seco com níveis de susceptibilidade oscilando entre muito alta e alta. Áreas identificadas com vulnerabilidade à desertificação em razão do índice de menor aridez podem não estar localizadas em áreas degradadas. As áreas que apresentam maior índice de aridez e não são alocadas como processos de vulnerabilidade podem encontrar-se degradadas a ponto de serem consideradas áreas desertificadas. Esta variação poderá ocorrer devido ao uso inadequado do solo e do ambiente em estudo. Quanto maior a precipitação, maior será o índice de aridez, e diante a desertificação, menor será a susceptibilidade. A temperatura influencia na evapotranspiração, pois quanto maior a temperatura, maior a evapotranspiração e, consequentemente, menor o índice de aridez e, portanto maior a susceptibilidade à desertificação.


Palavras-chave


balanço hídrico climatológico, classificação climática, temperatura.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


APAC. Agência Pernambucana de águas e Clima do Estado de Pernambuco. Recife, 2015.

BESERRA, E.A. Projeções de Aridez no Nordeste do Brasil para o Século XXI em um Cenário de Aquecimento Global. 93f. Dissertação Mestrado (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). São José dos Campos-SP. 2011.

DUFEK, A.S.; AMBRIZZI, T. Precipitation variability in São Paulo State, Brazil.Theoretical and Applied Climatology, v. 93, p.167-178, 2008.

FAO. Foad and agriculture organization of the United Nations. La erosion del suelo por el água: Algumas medidas para em las tierras de cultivo. Roma: Organization de Las Nacioes Unidas, p.207. 1967,

MATALLO JUNIOR, H.A desertificação no mundo e no Brasil. In: SCHENKEL, C.S. e MATALLO JR, H (Org). Desertificação. Brasília: UNESCO, 2003.

MATALLO JÚNIOR, H. Indicadores de Desertificação: histórico e perspectivas. – Brasília: UNESCO, 2001.

MEDEIROS, R.M.; MATOS, R.M.; SILVA, P.F.; SABOYA, L.M.F.; Cálculo do balanço hídrico e da erosividade para o município de Cabaceiras-PB. Revista Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.11 n.21; p. 2894-2907. 2015.

MEDEIROS, R.M. Elaboração de programa computacional em planilhas eletrônicas do Balanço hídrico. 2016.

MEDEIROS, R.M. Estudo agrometeorológico para o Estado do Pernambuco. p.145. 2017. Edição Avulsa.

MEDEIROS, R.M. Caracterização de mudanças climáticas por meio de séries meteorológicas para o município de Teresina/Piauí. Revista Pernambucana de Tecnologia. , v.2, p.6 - 17, 2014.

MEDEIROS, R.M.; GOMES FILHO, M.F.; COSTA NETO, F.A. Erosividade da chuva na área da bacia hidrográfica do rio Uruçuí Preto- PI, Brasil visando o desenvolvimento de manejos do solo. 9° congresso de educação agrícola superior Areia-PB - 27 a 30 de outubro de 2014 Nº ISSN / 0101-756X.

Millennium Ecosystem Assessment, 2005. Ecosystems and Human well-Being: Desertification synthesis, 1 ed. World resources Institute, Washington

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Atlas das áreas susceptíveis à desertificação do Brasil. Secretaria de Recursos Hídricos, Brasília: MMA, 2007.

NICHOLSON, S.E.; TUCKER, C.J.; BA, M.B. Desertification, Drought, and Surface Vegetation: An Example from the West African Sahel. Bulletin of the American Meteorological Society, v.79, n.5, p.815-829, 1998.

PEREIRA, A.P.A.; ANGELOCCI, L.R; SENTELHAS, P.C. Agrometeorologia: fundamentos e aplicações práticas. Guaíba – RS: Agropecuária, 478p. 2002.

SILVA, V.M.A.; MEDEIROS, R.M.; ARAUJU, S.M.S. Desertificação e variabilidade pluviometrica em São João do Cariri – PB no período de 1911-2010. I Workshop Internacional Sobre Água no Semiárido Brasileiro. Campina Grande – PB. 2013.

SOUSA, R. F. Vulnerabilidade, Semiaridez e Desertificação: cenários de riscos no Cariri Paraibano. Revista OKARA: Geografia em debate. P.128-206. 2008.

SUDENE. Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste. Dados pluviométricos mensais do Nordeste – Paraíba. (Série Pluviometria, 2). Recife. 1990.

TAVARES, V.C.; RAMOS, N.Z. A desertificação em São João do Cariri (PB): uma análise das vulnerabilidades. Revista Brasileira de Geografia Física v.09, n.05. p.1384-1399. 2016.

TEIXEIRA, H.C.T.; AZEVEDO, P.V. Potencial agroclimático do Estado do Pernambuco para o cultivo de acerola. Revista Brasileira da Agrometeorologia, Santa Maria, v.2, n.1, p.105-113, 1994.

THORNTHWAITE, C.W. An approach toward a rational classification of climate. Geographic Review, 38, p.55-94. 1948.

THORNTHWAITE, C.W.; MATHER, J.R. The water balance. Publications in Climatology. New Jersey: Drexel Institute of Technology, 104p.1955.

UNEP. United Nations Envionment Programme. Disponível: http://www.unep.org/sgb/prev_docs/78_05_G C6_report_k7803325.pdf. Acesso: 28 de setembro de 2013. 1978.

VAREJÃO-SILVA, M. A. Meteorologia e Climatologia. Versão Digital. Recife, 2005. 516p.

WISCHMEIER, W.H.; JOHNSON, C.B.; CROSS, B.V. A soil erodibility nomograph for farmaland and construction sites. Journal of Soil and Water Conservation, Ankeny, n.26, p.189-193, 1971.

WISCHMEIER, W.H.; SMITH, D.D. Rainfall energy and its relationship to soil loss. Transactions of the American Geophysical Union, Washington, v.39, n.2, p.285-291, 1958.

WISCHMEIER, W.H.; SMITH, D.D. Predicting rainfall erosion losses: a guide to conservation planning. Washington: USDA, 1978. 58p.




DOI: https://doi.org/10.24221/jeap.4.1.2019.1875.021-030

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista e Autor

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.