Análise comparativa da umidade da vegetação de áreas de caatinga preservada, agricultura irrigada e sequeiro

Pedro Vinícius da Silva Brito, Ygor Cristiano Brito Morais, Henrique dos Santos Ferreira, Jadson Freire da Silva, Josiclêda Domiciano Galvíncio

Resumo


O uso não planejado dos recursos do bioma caatinga vem provocando diversos processos de degradação ambiental, os quais interferem negativamente sobre sistemas físico-naturais e biológicos da região semiárida. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo analisar as diferenças de parâmetros biofísicos em áreas de caatinga preservada e degradada, bem como das áreas de agricultura irrigada e sequeiro. Foram utilizadas duas imagens do satélite Landsat 8 – Sensor OLI, correspondentes aos dias 22/05/2016 e 17/01/2017. Nas quais foram aplicados os cálculos de refletância, NDVI e NDWI. Os resultados mostraram uma diferença nos valores de NDVI e NDWI entre as imagens de 2016 e 2017 de acordo com os diferentes tipos de vegetação. As áreas de caatinga apresentaram predominância de valores de NDVI de 0,4 a 0,6. Os perímetros irrigados destacaram-se por apresentar NDVI e NDWI maiores do que nas áreas de caatinga e de sequeiro. Tais diferenças entre os dias analisados resultaram da ausência e/ou baixa quantidade de precipitação nos meses que antecederam os dias de imageamento. Quanto à agricultura irrigada, esta apresentou a maior disponibilidade de água, o que influencia diretamente na atividade fotossintética das plantas e no conteúdo de água presente na no solo.

Palavras-chave


Semiárido. Parâmetros Biofísicos. Vegetação.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ALLEN, R.; TASUMI, M.; TREZZA, R. Satellite-Based Energy Balance for Mapping Evapotranspiration with Internalized Calibration METRI —Model. Journal of Irrigation and Drainage Engineering, New York, v. 133, p. 380-394, 2007.

ALLEN, R. et al. SEBAL (Surface Energy Balance Algorithms for Land). Advanced Training and Users Manual – Idaho Implementation, version 1.0. 2002.

AMORIM, I. L. B.; SAMPAIO, E. V. S.; ARAÚJO, E. L. Flora e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea de uma área de caatinga do Seridó, RN, Brasil. Acta Botânica Brasílica, v.19, n.3, p.615-623, 2005.

ANDRADE, M. CORREIA DE. A terra e o homem no Nordeste: contribuição ao estudo da questão agrária no Nordeste. 7. ed. São Paulo, BRA: Editora Cortes, 2005. p. 334

ÁVILA, L. F.; MELLO, C. R. de; SILVA, A. M. da. Continuidade e distribuição espacial da umidade do solo em Bacia Hidrográfica da Serra da Mantiqueira. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 14, n. 12, p. 1257-1266, 2010.

BERNARDO, S.; SOARES,A. A.; MANTOVANI, E. C. Manual de Irrigação.8. ed. Viçosa: UFV, 2006. 625 p.

CHANDER, G; MARKHAM, B. L; HELDER, D.L. Summary of current radiometric calibration coefficients for Landsat MSS, TM, ETM+ and EO-1 ALI sensors. Remote Sensing of Environment, New York, v. 113, p. 893–903, 2009.

DNIC. Distrito de Irrigação Nilo Coelho. Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2014.

HASSAN, Q. K. et al. A wetness index using terrain-corrected surface temperature and normalized difference vegetation index derived from standard MODIS products: an evaluation of its use in a humid forest-dominated region of eastern Canada. Sensors, Basel, v. 7, n. 10, p. 2028-2048, 2007.

IBGE. Manual Técnico da Vegetação Brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro, BRA: IBGE, 2012. p. 275

KURC, S. A.; BENTON, L. M. Digital image-derived greenness links deep soil moisture to carbon uptake in a creosotebush-dominated shrubland. Journal of Arid Environments, London, v. 74, n. 5, p. 585-594, 2010.

MMA- Ministério do Meio Ambiente. Monitoramento dos biomas brasileiros: bioma Caatinga. Brasília: MMA, 2010.

OLIVEIRA, T. H. de et al. Índice de umidade (NDWI) e análise espaço-temporal do albedo da superfície da bacia hidrográfica do rio Moxotó-PE. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 3, n. 2, p. 55-69, 2010.

PONZONI, F. J.; SHIMABUKURO, Y. E. Sensoriamento remoto no estudo da vegetação. São José dos Campos: Parêntese, 2009. 136 p.

QUARANTA, G. Agricultura de sequeiro. Lucinda: Land Care in Desertification Affected Areas, 1999. (Série C, 4).

ROUSE, J.W. et al. Monitoring vegetation systems in the great plains with ERTS. In: Earth Resources Technology Satellite-1. In: SYMPOSIUM, 3, 1973, Washington. Proceedings… Whashington: NASA. v.1, 1973. p. 309-317.

SÁNCHEZ, N. et al. Combining remote sensing and in situ soil moisture data for the application and validation of a distributed water balance model (HIDROMORE). Agricultural Water Management, Amsterdam, v. 98, n. 1, p. 69-78, 2010.

SILVA, B. B. et al. Procedures for calculation of the albedo with OLI-Landsat 8 images: Application to the Brazilian semi-arid. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 20, n. 1, p. 3–8, 2016.

TROVÃO, D. M. B. M. et al. Variações sazonais de aspectos fisiológicos de espécies da Caatinga. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 11, n. 3, p. 307-311, 2007.

WEI, Y. et al. Estimating soil moisture in semi-arid region by remote sensing based on TM data. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON MULTIMEDIA TECHNOLOGY (ICMT), 2010. Ningbo: IEEE, 2010. p. 1-5.




DOI: https://doi.org/10.24221/jeap.2.4.2017.1481.493-498

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Journal of Environmental Analysis and Progress

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.