DIVERSIDADE FLORÍSTICA DE ESPÉCIES COM POTENCIAL APÍCOLA NO MUNICÍPIO DE COCAL, REGIÃO NORTE DO PIAUÍ.

Autores

  • Elayne Cristina Gadelha Vasconcelos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí-IFPI campus Cocal http://orcid.org/0000-0002-7403-3855
  • Vandenberg Lira Silva Professor do Curso superior de Tecnologia em Agroecologia, do Instituto Federal do Piauí-IFPI/Campus Cocal, Cocal-PI http://orcid.org/0000-0001-7215-5907
  • Juliana do Nascimento Bendini Professora da Universidade Federal do Piauí-UFPI/Campus Senador Helvídio Nunes de Barros, Picos-PI http://orcid.org/0000-0001-7227-7170
  • Joaquim Bezerra Costa Pesquisador da Embrapa Cocais, São Luís – MA http://orcid.org/0000-0001-9017-3893
  • Daniele Neres de Carvalho Graduanda do Curso superior de Tecnologia em Agroecologia, do Instituto Federal do Piauí-IFPI/Campus Cocal, Cocal-PI http://orcid.org/0000-0001-7054-5848

DOI:

https://doi.org/10.52719/bjas.v3i1.3955

Palavras-chave:

Apicultura, Época de floração, Flora melífera, Palinologia

Resumo

O pasto apícola de uma região é formado pelo conjunto de plantas que fornecem recursos como pólen e néctar, essenciais à sobrevivência das abelhas. Para que a apicultura seja desenvolvida de forma sustentável é de fundamental importância que o apicultor tenha conhecimento das espécies que compõem o pasto apícola. Conhecendo-as, é possível preservá-las e multiplicá-las, contribuindo também para a preservação da natureza. Com o presente trabalho objetivou-se identificar as plantas com potencial apícola do Município de Cocal, localizado no Norte do Piauí, contribuindo para o conhecimento da flora apícola e fornecendo informações que poderão ser utilizadas no manejo das colmeias e na determinação da origem floral do mel produzido na região. Foi realizado um levantamento florístico pelo método direto. As coletas foram realizadas aleatoriamente dentro de um raio de 1500m ao redor do apiário. Para determinação da composição florística foram coletados quinzenalmente, durante três meses (janeiro a março), materiais botânicos das espécies que estavam em floração, na área experimental. Após a identificação de espécies amostradas na área de estudo, fez-se uma listagem, agrupando por família, de acordo com o sistema de taxonomia vegetal utilizado na classificação de espécies. A flora estudada foi representada por 33 espécies, com um total de 20 famílias. As famílias com maior número de espécies foram Fabaceae, Euphorbiaceae, Malvaceae. Foram identificados 15 tipos polínicos, pertencentes a 11 famílias. A família Euphorbiaceae representou 27,27% das espécies polínicas. Conclui-se que a diversidade florística ecótono da região contribui significativamente para a atividade apícola do município de Cocal-PI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elayne Cristina Gadelha Vasconcelos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí-IFPI campus Cocal

Deaprtamento de Ciências AgráriasÁrea: Zootecnia.Subáreas: Pastagem e Forragicultura, Produção Animal e Agroecologia.

Referências

Aguiar, C. M. L., Zanella, F. C. V., & Martins, C. F. (2003). Plantas visitadas por Centris spp. (Hymenoptera: Apidae) na Caatinga para obtenção de recursos florais. Neotrop. Entomol, 32(2).

Aleixo, L. D, Araújo, W. L. de, Agra, R. da S., Maracajá, P. B., & Soiusa, M. J, de O. (2014). Mapeamento da flora apícola arbórea das regiões pólos do estado do Piauí. Revista Verde Pombal, 9(4), 262 - 270.

Alvino, L. D. (2005). Síndrome de polinização e dispersão das espécies vegetais ocorrentes na Serra do Bodopitá (Queimadas – PB). Monografia, Universidade Estadual da Paraíba – UEPB, Campina Grande, Brasil.

Brasil, D. F., & Guimarães-BrasiL, M. O. (2018). Principais recursos florais para as abelhas da caatinga. Scientia Agraria Paranaensis, 17(2), 149.

Chaves, E. M. F., Barros, R. F. M., & Araújo, F. S. (2007). Flora Apícola do Carrasco no Município de Cocal, Piauí, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, 5, supl. 1, 555-557.

Erdtman, G. (1960). The acetolysis method. A revised description. Svensk Botanisk Tidskrift, 54(4), 561-564.

Freitas, B. M. (1996). Caracterização do fluxo nectário e pólen na caatinga do Nordeste. Anais do Congresso Brasileiro de Apicultura. Teresina, PI, Brasil.

Hower, F. N. (1953). Plantas melíferas. Barcelona: Reverté.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo agropecuário. https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/74.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (1998). Balanço hídrico e clima da região dos cerrados. Rio de Janeiro: Gerência de documentação.

Jacomine, P. K. T., Almeida, J. C., & Medeiros, L. A. R. (1973). Levantamento exploratório reconhecimento de solos do estado do Ceará (Boletim Técnico, 28. Série Pedológica, 16. 301p.). Recife: Sudene.

Lima, L. C. L., Silva, S. S. A., & Santos, F. A. R. (2006). Morfologia polínica de espécies de Mimosa L. (Leguminosae) apicolas do semi-arido. In A. M. Giulietti. Apium plantae (p. 87-102). Recife: IMSEAR.

Lima, M. (2003). Flora apícola tem e muita! Um estudo sobre as plantas apícolas de Ouricuri-PE. Ouricuri-PE: Caatinga.

Locatelli, E., Machado, I. C., & Medeiros, P. Riqueza de abelhas e a flora apícola em um fragmento da Mata Serrana (Brejo de Altitude) em Pernambuco, Nordeste do Brasil. (2004). In K. C. Porto, J. J. P. CabraL, & M. Tabarelli. Brejos de altitude em Pernambuco e Paraíba (História Natural, Ecologia e Conservação) (Cap. 12. p. 153-177). Brasília: Ministério do Meio Ambiente.

Lopes, C. G. R., Beirão, D. C. C., Pereira, L. A., & Alencar L. C. (2016). Levantamento da flora apícola em área de cerrado no município de Floriano, estado do Piauí, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, 14(2).

Marques, L. J. P., Muniz, F. H., & Silva, J. M. (2007). Levantamento apibotânico do município de Santa Luzia do Paruá, Maranhão–Resultados preliminares. Revista Brasileira de Biociências, 5(1), S1, 114-116.

Modro, A. F. H., Message, D., Luz, C. F. P. da, & Meira Neto, J. A. A. (2011). Flora de importância polinífera para Apis mellifera (L.) na região de Viçosa, MG. Revista Árvore, 35(5), 1145-1153. Doi: https://doi.org/10.1590/S0100-67622011000600020.

Mori, S. A., Silva, L. A. M., Lisboa, G., & Coradin, L. (1985). Manual de manejo do herbário fanerogâmico. Ilhéus, BA: Centro de Pesquisa do Cacau.

Pasin, L. E. V., Tereso, M. J. A., & Barreto, L. M. R. C. (2012). Análise da produção e comercialização de mel natural no Brasil no período de 1999 a 2010. Agroalimentaria, 18(34), 29-42.

Paula Neto, F. L., & Almeida Neto, R. M. de. (2006) de. Apicultura Nordestina: principais mercados, riscos e oportunidades. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil.

Punt, W., Hoen, P. P., Blackmore, S., Nilsson, S., & Le Thomas, A. (2007). Glossary of pollen and spore terminology. Review of palaeobotany and palynology, 143(1-2), 1-81.

Silva, J. I. (2014). Diversidade da flora apícola no município de São João do Piauí. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento), Universidade Federal do Piauí, Teresina, Piauí, Brasil.

Silva, K. C. B. da, Gonçalves, A. B., & Cereda, M. P. (2015). Poléns importantes na flora apícola em uma região de Cerrado em Campo Grande–MS. Revista de Biologia Neotropical/Journal of Neotropical Biology, 12(2), 81-85. Doi: https://doi.org/10.5216/rbn.v12i2.37139.

Silva, S. J. R., & Absy, M. L. (2002). Análise do pólen encontrado em amostras de mel de Apis mellifera L. (Hymenoptera, Apidae) em uma área de savana de Roraima, Brasil. Acta Amazonica, 30(4), 579 – 588.

Villanueva, G. R. (2002). Polliniferous plants aud foraging strategles of Apis mellifera (Hyínenoptera: Apidae) in the Yucatán Peninsula, Mexico. Revista de biologia tropical, 50(3-4), 1035-1044.

Wolff, L. F. et al. (2006). Localização do apiário e instalação das colmeias (30 p.). Teresina: Embrapa Meio-Norte.

Downloads

Publicado

2021-08-22

Como Citar

Vasconcelos, E. C. G., Silva, V. L., Bendini, J. do N., Costa, J. B., & de Carvalho, D. N. (2021). DIVERSIDADE FLORÍSTICA DE ESPÉCIES COM POTENCIAL APÍCOLA NO MUNICÍPIO DE COCAL, REGIÃO NORTE DO PIAUÍ. Brazilian Journal of Agroecology and Sustainability, 3(1). https://doi.org/10.52719/bjas.v3i1.3955

Edição

Seção

Artigos