Benefícios da utilização de linhaça na formulação de novos produtos e preparações

Eduardo Gouveia Amorim

Resumo


Devido à maior consciência da população acerca do aparecimento de patologias associadas a uma alimentação inadequada, assim como a busca por uma melhora na qualidade de vida, a indústria passou a buscar farinhas alternativas a de trigo na elaboração de produtos e preparações. A farinha de semente de linhaça é, apesar de pouco difundida, rica em ácidos fenólicos, flavonóides, vitaminas, minerais e lignanas e sua utilização é uma ótima maneira de atender essa nova demanda da indústria. A adição dessa farinha também foi responsável pelo aumento dos valores de proteínas, fibras solúveis e insolúveis e Ômega-3 e pela diminuição da quantidade de carboidratos em novos produtos e novas formulações. Entretanto, a adição de linhaça pode conferir características indesejáveis do ponto de vista sensorial, como alterações na textura e na coloração de alguns produtos e formulações. É importante verificar quais produtos apresentam maior viabilidade para a inclusão de farinha de semente de linhaça, apresentando melhoramento nutricional sem prejuízo das características organolépticas.


Palavras-chave


Linum usitatissimum; Fibras na dieta; Ácido alfa-linolênico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Arquivos Brasileiros de Alimentação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Arquivos Brasileiros de Alimentação, Recife, PE,Brasil. e-ISSN 2446-9262

Licença Creative Commons