Estruturado de murici (Byrsonima crassifolia (L.) Kunth) a base de hidrocoloide: elaboração e caracterização físico-química

Eveline de Alencar Costa, Samuel Almeida Brito, Paulo Henrique Machado de Sousa, Adriana Camurça Pontes Siqueira, Elba Cristina Barbosa Cunha Cunha, Luís Gustavo Lima Nascimento

Resumo


O gelano é um hidrocoloide que confere propriedades gelificantes e espessantes, proporcionando a formação de estruturados de frutas. O murici (Byrsonima crassifolia (L.) Kunth) é uma fruta nativa da biodiversidade brasileira, com sabor sui generis e com período de safra definido. Com o propósito de garantir o consumo desse fruto o ano todo e conferir mais uma alternativa de produto, além dos sucos e geleias, objetivou-se elaborar e caracterizar físico-quimicamente um estruturado a base de gelano. Foram elaboradas 4 formulações, contendo 40 mL de polpa de murici, 10mL de mel e percentuais de gelano diferenciados: 0,25; 0,5 0,75 e 1,0%, F1, F2, F3 e F4, respectivamente. Parâmetros físico-químicos avaliados foram: pH, ºBrix, atividade de água e vitamina C. Todas as formulações apresentaram baixo valor de pH (<3,5) e alta atividade de água (Aw > 0,9); entretanto, apenas a F1 apresentou valor de SST alto (9,33 ºBrix). O teor de vitamina C variou entre 16,72 a 19,81 mg.100g-1. A tonalidade cromática das amostras foi alta (h > 70); valores de luminosidade foram 48,31, 51,34, 52,56 e 51,75, respectivamente em F1, F2, F3 e F4; a intensidade a* (vermelho ao verde) variou entre as amostras de 6,87 a 7,82; b* (amarelo a azul) entre 31,47 a 39,67; e c* (croma) entre 32,21 a 40,43. O estruturado de murici apresentou estabilidade comercial, devido ao seu baixo pH e com conteúdo de vitamina C.


Palavras-chave


Hidrocoloides; molecular; fruta; biodiversidade

Texto completo:

PDF

Referências


ABADIO FINCO, F. D. B.; SILVA, I. G.; OLIVEIRA, R. B. Antioxidant activity of savannah fruits. Alim. Nutr., Araraquara, v. 23, n. 2, p. 179-185, abr./jun., 2012.

ALMEIDA, M. M. B. et al. Bioactive compounds and antioxidant activity of fresh exotic fruits from northeastern Brazil. Food Research International, Barking, v. 44, n. 7, p. 2155-2159, 2011.

AZEREDO, H. M. C. et al. Fundamentos de Estabilidade de Alimentos. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2004.

CANUTO, G.A.B. et al. Caracterização físico-química de polpas de frutos da Amazônia e sua correlação com a atividade anti-radical livre. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 32, n. 4, p. 1196-1205, dez. 2010.

CARVALHO, C. Y.D. TEXTURIZADO DE MANGA: Impacto do processamento na componente de aroma. 2014. 96p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Alimentar - Processamento de Alimentos) – Instituto Superior de Agronomia, Universidade de Lisboa.

CHIRIFE, J.; BUERA, M.D.P. Water activity, glass transition and microbial stability in concentrated/semimols food systems. J. Food Sci., v. 59, n. 5, p. 925-927, 1994.

CONTRERAS-CALDERÓN, J. et al. Antioxidant capacity, phenolics content and vitamin C in pulp, peel and seed from 24 exotic fruits from Colombia. Food Research International, Barking, v. 44, p. 2047-2053, 2011.

CORADIN, L.; SIMINSKI, A.; REIS, A. A Iniciativa Plantas para o Futuro. In: CORADIN, L. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro – Região Sul. Brasília: MMA, p. 27 – 64, 2011.

DANALACHE, Florina et al. Optimization of gellan gum edible coating for ready-to-eat mango (Mangifera indica L.) bars. International Journal of Biological Macromolecules, v. 84, p. 43–53, 2016.

DANALACHE, Florina et al. Texture, microstructure and consumer preference of mango bars jellified with gellan gum. Food Science and Technology, v. 62, p. 584 – 591, 2015.

DUTCOSKY, S. D. Análise Sensorial de Alimentos. 4. ed. Curitiba: Champagnat – Pucpress, 2013. 531p.

FENNEMA, O.R. Food Chemistry. New York: Marcel Dekker. 1985. p. 1985.

FAO ⁄WHO. Human vitamin and mineral requirements. rev. atual. In: Report 7ª Joint FAO ⁄OMS Expert Consultation. Bangkok. Thailand. 2005. xxii + 286 p.

GUIMARÃES, M. M.; SILVA, M. S. Valor nutricional e características químicas e físicas de frutos de murici-passa (Byrsonima verbascifolia). Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, v. 28, n. 4, p. 817-821, out./dez. 2008.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análises de alimentos. 4. ed. São Paulo, 2005. 1018p.

LABUZA, T.P. Water Relations of Foods. New York: Academic Press, 1975. p. 155-172.

LINS, A. C. A. Desenvolvimento de fruta estruturada com umidade intermediária obtida de polpas concentradas de três genótipos de cajazeira (Spondias mombin L.). Mestrado (Dissertação de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos). Universidade Federal Rural de Pernambuco. 91f. 2010.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 1992. 384p.

MENEZES, J. B. et al. Armazenamento de dois genótipos de melão amarelo sob condições ambiente. Horticultura Brasileira, v. 19, n. 1, p. 42-49, 2001.

MORAIS, M. L.; SILVA. A. C. R.; ARAÚJO, C. R. R.; ESTEVES, E. A.; DESSIMONI-PINTO, N. A.V. Determinação do potencial antioxidante in vitro de frutos do cerrado brasileiro. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 35, n. 2, p. 355-360, jun. 2013.

MORZELLE, M. C.; BACHIEGA, P.; SOUZA, E. C. de; VILAS BOAS, E. V. de B.; LAMOUNIER, M. L. Caracterização química e física de frutos de curriola, gabiroba e murici provenientes do cerrado brasileiro. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 37, n. 1, p. 96-103, mar., 2015.

MOURA, J.I.M.G. Desenvolvimento de Metodologias para a Aplicação de Hidrocolóides a Técnicas Culinárias de Vanguarda. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 2011, 154f. Tese (Mestrado em Ciências Gastronômicas), Programa de Pós-Graduação em Ciências Gastronômicas, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2011.

PEREIRA, A.C; SANTOS, E.R. Frutas nativas do Tocantins com potencial de aproveitamento econômico. Agri-Enviromental Sciences, v. 1, n.1, p. 22-37, 2015.

RAMFUL, D. et al. Polyphenol composition, vitamin C content and antioxidant capacity of Mauritian citrus fruits pulps. Food Research International, Barking, v. 44, n. 7, p. 2088-2099, 2011.

REZENDE, C. M.; FRAGA, S. R. Chemical and aroma determination of the pulp and seeds of murici (Byrsonima crassifolia L.). Journal Brazilian Chemistry Society, v. 14, n. 3, p. 425-428, 2003.

SANNOMIYA, M. et al. Mutagenic evaluation and chemical investigation of Byrsonima intermedia A. Juss. leaf extract. Journal of Ethnopharmacology, Limerick, v. 112, n. 2, p. 319-326, 2007.

SILVA, M. R. et al. Caracterização química de frutos nativos do cerrado. Ciência Rural, Santa Maria, v. 38, n. 6, p. 1790-1793, 2008.

SOUSA, F. C. de; SILVA, L. M. de M.; SOUSA, E. P.; LIMA, A. K. V. de O.; FIGEUIREDO, R. M. F. de. Parâmetros físicos e físico-químicos da polpa de pequi. Revista Verde, Mossoró, v.6, n.1, p. 12-15, jan./mar. 2012.

SOUZA, V. R. DE; PEREIRA, P. A. P.; QUEIROZ, F.; BORGES, S. V.; CARNEIRO, J. DE D. Determination of bioactive compounds, antioxidant activity and chemical composition of Cerrado Brazilian fruits. Food Chemistry, v. 134, p. 381–386, 2012.

VASCO, C.; RUALES, J.; KAMAL-ELDIN, A. Total phenolics compounds and antioxidant capacities of major fruits from Ecuador. Food Chemistry, London, v. 111, p. 816-823, 2008.

VILGIS, T. Hydrocolloids between soft matter and taste: Culinary polymer physics. International Journal of Gastronomy and Food Science, v. 1, n. 1, p. 46-53, 2012.

VILLACHICA, H. Frutales y hortalizas promisorios de la amazonia. Lima: TCA, 1996, p.50-55.

VITALLI, A. Importância da atividade de água em alimentos. In: SEMINÁRIO SOBRE ATIVIDADE DE ÁGUA EM ALIMENTOS, 1., 1987. Campinas, Anais…, Campinas: ITAL. 1987. p. 1-5.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Arquivos Brasileiros de Alimentação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Arquivos Brasileiros de Alimentação, Recife, PE,Brasil. e-ISSN 2446-9262

Licença Creative Commons